Suíça estreita relações comerciais com o Ceará

0
Em evento realizado ontem, na Fiec, representantes do Ceará e da Suíça enfatizaram que o setor de energia renovável é um dos mais promissores para a realização de negócios entre o país europeu e o Estado

Durante visita ao Ceará, o embaixador da Suíça no Brasil, Andrea Semadeni, manifestou interesse em estreitar as relações comerciais do país com o Estado, apresentando oportunidades de investimentos brasileiros na Suíça, com a expectativa de firmar parcerias entre suíços e cearenses. Aqui, um dos focos seria o setor de energia renovável. “As relações comerciais entre o Ceará e a Suíça têm muita margem de melhora. Até porque, quando a gente vê os números, o Ceará tem uma área três vezes e meia maior do que a da Suíça, com uma população comparável. Ou seja, a gente deveria se entender”, disse Semadeni.

O embaixador participou, na manhã de ontem, do evento “Relações Suíça & Ceará – Oportunidades e Perspectivas de Negócios e Investimentos”, realizado na Federação das Indústria do Ceará (Fiec). Segundo Semadeni, para que as relações bilaterais se desenvolvam, é fundamental que sejam feitos acordos para evitar a bitributação tanto na importação como na exportação, além de acordos de livre comércio e de proteção aos investimentos feitos no Brasil.

Bitributação

“O acordo de bitributação evitaria que as empresas paguem os impostos duas vezes, no Brasil e na Suíça. Desde maio, estamos em um processo de ratificação desse acordo, que irá pesar na decisão dessas empresas de investir aqui”, disse o embaixador.

Sobre o acordo de proteção aos investimentos, Semadeni afirmou que dá garantia de manutenção das regras mesmo com a troca de governos.

Para a presidente do Conselho Temático de Relações Internacionais da Fiec, Roseane Medeiros, embora as relações comerciais entre o país europeu e o Ceará ainda sejam pequenas, o Estado apresenta oportunidades, principalmente, nos setores de energias renováveis. “O Ceará está se credenciando como um lugar de oportunidades nesse setor, que é o futuro”, disse.

Durante o evento, Philippe Praz, diretor da Swiss Business, apresentou as oportunidades de investimentos na Suíça, com destaque nos setores farmacêutico, químico, mecânico eletrônico e a biotecnologia. Ele destacou ainda que o setor de energias renováveis está despontando no país e que há uma grande tendência de crescimento já que o governo pretende substituir a produção de energia nuclear (que atualmente corresponde a 35% da matriz suíça) por energias renováveis, como solar e eólica.

Balança comercial

De janeiro a agosto deste ano, o Ceará exportou para a Suíça US$ 1,885 milhão e importou US$ 8,842 milhões. O principal tipo de produto exportado pelo Estado foi “Sumos de frutas (incluídos os mostos de uvas)”, totalizando US$ 1,03 milhão. Já o Ceará comprou da Suíça mais “Máquinas e aparelhos, para trabalhar borracha ou plástico ou para fabricação de produtos dessas matérias” (US$ 2,1 milhões).

Diário do Nordeste

Compartilhe

Deixe um comentário