Aeroporto e postos de Fortaleza recebem combustível

0

Com o fim da manifestação no Porto do Mucuripe, neste sábado (26), caminhões carregados com combustível saíram da base de tancagem escoltados por policiais e abasteceram parte do estoque do Aeroporto de Fortaleza e também de postos da capital e interior. A Fraport informou que recebeu quatro carretas com combustível, porém segue operando com nível de reserva.

Motoristas de aplicativo e caminhoneiros fechavam, desde quinta-feira (24), os acessos ao cais do Porto do Mucuripe. Os caminhões só deixaram o local depois de um acordo entre manifestantes e a Polícia Rodoviária Federal do Ceará (PRF-CE). O Ceará registra protestos contra aumento do combustível desde segunda-feira, com bloqueio nas rodovias do estado.

Conforme a empresa administradora do aeroporto de Fortaleza, o reabastecimento é suficiente para que as operações sigam até a madrugada deste domingo (27). “Informações sobre alterações de itinerários e cancelamentos deverão ser obtidas diretamente com as companhias aéreas”, informou, em nota, a Fraport.

Já o vice-presidente do Sindipostos, Paulo Sérgio Pereira, comentou que, pelo menos, 40 postos receberam combustível desde as 13h deste sábado. Ainda assim, ele diz que a situação é critica e que os estabelecimentos devem voltar à normalidade aos poucos.

“Eles (postos) estão recebendo os caminhões-tanque, mas a demanda por gasolina é muito grande. Estamos com caminhões abastecendo os postos de Fortaleza e também em cidades do interior. Os estabelecimentos receberam menos do esperavam, porque a quantidade foi dividida entre os postos. Na medida do possível, estamos normalizando a situação”, disse Paulo Sérgio.

Espera de até 30 minutos

Motoristas que tentaram abastecer os veículos na tarde deste sábado enfrentaram longas filas nos estabelecimentos da capital. Mais de 25 carros e motos formaram uma fila que virou o quarteirão em um posto na Avenida Pe Antônio Tomás, no Bairro Aldeota.

Um dos motoristas disse que precisou esperar 30 minutos na fila para conseguir abastecer o carro.

Também foram registradas longas filas em postos de combustíveis nas avenidas Pontes Vieira, no Bairro São João do Tauape; Raul Barbosa, na Aerolândia; Perimetral, no São Cristóvão; e na rodovia BR-116, na altura do Bairro Cajazeiras.

A falta do produto é consequência do desabastecimento com o 6º dia de protestos de caminhoneiros. No Ceará, a greve afeta serviços nos supermercados, farmácias, trânsito, Ceasa e aeroportos.

Com informação do G1

Compartilhe

Deixe um comentário