Gasto com fornecedores do CE atinge R$ 800 mi/CSP PECÉM

0

 

Image-0-Artigo-2333985-1
A Companhia está ampliando a quantidade de fornecedores cearenses ( Foto: Helene Santos )

Os gastos da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP) com fornecedores cearenses, de prestadores de serviços a outras indústrias, já somam R$ 800 milhões no acumulado de janeiro a outubro deste ano, 48% a mais do que o previsto inicialmente para todo o ano. Segundo o presidente da CSP, Eduardo Parente, isso se dá pelo aumento de fornecedores do Ceará, o que afirma vir surpreendendo a empresa.

> CSP projeta ampliar produção em 20% no próximo ano

De acordo com o presidente, a companhia está conseguindo acelerar a quantidade de fornecedores cearenses de suprimentos e serviços da siderúrgica. Entre eles, Parente destaca a Makro Engenharia, que executa serviços de movimentação de cargas na planta industrial, e a Gertáxi, cuja frota de ônibus transporta os funcionários de Fortaleza a São Gonçalo do Amarante.

Nova estratégia

Até agora, a CSP atende a 33 clientes em 19 países, em diferentes níveis. Procurando uma maior estabilidade, a ideia agora, segundo o presidente, é reduzir o número de clientes atendidos, priorizando a realização de contratos de compra e venda mais sólidos com um número menor de empresas, sem afetar o nível de produção. Os países que mais adquirem placas da CSP hoje são México, Turquia, EUA, Itália e Coreia do Sul.

Quanto à possibilidade de ser vizinho da refinaria, Parente destacou ser algo excelente para a CSP, principalmente pela oportunidade de dividir custos, embora possa perder alguma mão de obra para eles no processo.

Rodovia das placas

Na lista das obrigações do Governo do Estado para com a companhia e avaliada pelo empreendimento como importante para escoar a produção ao Porto do Pecém, a CE-576, conhecida como “Rodovia das Placas”, conta com 53% de execução, segundo a Secretaria da Infraestrutura do Estado (Seinfra). O trecho terá oito quilômetros de nova rodovia, com aporte de R$ 15,9 milhões. O projeto faz parte do Programa Viário de Integração e Logística – Ceará IV, que recebe recursos do Estado, em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). (YP)

Compartilhe

Deixe um comentário