Haddad diz que se eleito vai fixar meta para presença de mulheres no governo

0

Por Adneison Severiano, G1 AM


Candidato do PT, Fernando Haddad, fez campanha em Manaus

Candidato do PT, Fernando Haddad, fez campanha em Manaus

O candidato do PT à Presidência, Fernando Haddad, afirmou neste sábado (29), durante agenda de campanha em Manaus, que, se vencer a disputa pelo Palácio do Planalto, pretende fixar uma meta para presença de mulheres em seu eventual governo.

O petista disse ainda que a candidata a vice de sua chapa, Manuela D’Ávila, não terá apenas um papel institucional, mas vai também atuar como interlocutora do governo com as mulheres e a juventude, especialmente, com mulheres jovens.

Haddad desembarcou na manhã deste sábado em Manaus para cumprir compromissos eleitorais. Cercado por simpatizantes de sua candidatura, ele fez uma caminhada pelas ruas do centro histórico da capital amazonense.

“Nossa equipe vai ter muitas mulheres. Queremos, inclusive, fixar uma meta para a presença de mulheres no nosso governo. Entendemos que isso faz parte da democracia. A mulher tem muito pouca participação no Brasil”, declarou Haddad a jornalistas.

“A Manuela [D’Ávila] vai ter papel, não só como vice, mas como agente política importante. Ela dialoga com toda a juventude brasileira. Nós queremos que o protagonismo da juventude, e da mulher jovem, estejam presentes”, complementou.

Crédito para empreendedores

Em meio à entrevista coletiva concedida durante a caminhada, Fernando Haddad prometeu, se eleito, oferecer crédito mais barato para micro e pequenos empreendedores por meio do Banco de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Segundo ele, a instituição de fomento vai oferecer financiamento com juros mais baixos para auxiliar os pequenos empresários a investir em seus negócios. Além do crédito mais barato, o candidato do PT também prometeu reduzir e simplificar a carga tributária para esse segmento da economia.

Geração de empregos

Ao discursar para eleitores e apoiadores de sua campanha, o presidenciável do PT afirmou que, caso vença a disputa pelo Palácio do Planalto, quer usar parte das reservas internacionais para levar empregos para Manaus. Ele elogiou a prorrogação por mais 50 anos da vigência da Zona Franca de Manaus.

Ele disse que pretende usar até 10% das reservas internacionais para incentivar a implantação de indústrias de ponta na capital amazonense, sede da Zona Franca de Manaus. Nos cálculos do petista, esse percentual do fundo poderia representar entre US$ 20 bilhões e US$ 30 bilhões.

“Temos que insistir para gerar empregos. Eu quero usar parte das reservas internacionais para trazer empregos para Manaus. Em torno de 20 a 30 bilhões de dólares para implantar fábricas de ponta em Manaus, sobretudo na área de energia. Produção de painéis solares, lâmpadas de led”, explicou.

G1

Compartilhe

Deixe um comentário