Ouvir Rádio: Rádio Senado / Universitária FM 107.9 Fale Conosco

Número de nascimentos no Ceará cai 5,84% em 2016, aponta IBGE

0

O número de nascimentos registrados no Ceará caiu 5,84% em 2016 em relação ao ano anterior, segundo as estatísticas do Registro Civil 2016, divulgadas nesta terça-feira (14) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O levantamento mostra também que nos dois últimos anos houve aumento no resultado de divórcios e guarda compartilhada.

Em 2016, foram registrados 130.276 nascimentos no Ceará. Em 2015 foram 138.354 nascimentos; e 2014, 131.047 nascimentos. O número de divórcios cresceu consideravelmente, segundo o IBGE. Em 2014, o órgão registrou 9.029 divórcios. Em 2015 foram computados 9.970, e ano passado o índice aumentou para 12.127 divórcios.

Os números ocorrem também quando os dados de todo o Brasil. No país, foram registrados 2,79 milhões nascimentos no Brasil, o que representa uma queda 5,1%, ou 151 mil nascimentos a menos, na comparação com 2015.

Casamento gay

Outro dado divulgado pelo IBGE diz respeito à quantidade de casamento entre cônjuges femininos, que teve aumento no estado do Ceará. Em 2016 foram computados 138 casamentos. Para o sexo masculino foram registrados 83.

Já casamento entre cônjuges masculino e feminino foi de 43.907 em 2016.

Divórcios e guarda compartilhada crescem

Em 2016, o número de divórcios concedidos em 1ª instância a casais com filhos menores de idade passou de 5.082 em 2014 para 6.730 ano passado, segundo o IBGE.

Mortalidade até os 14 anos cai

A pesquisa do IBGE mostra ainda que caiu a mortalidade até os 14 anos de idade, ao passo que aumentou o número de óbitos nas idades mais avançadas, em especial acima dos 50 anos, um reflexo do envelhecimento populacional.

Em 2016, um homem de 20 anos tinha onze vezes mais chance de não completar os 25 anos do que uma mulher, segundo o IBGE.

No grupo de homens de 15 a 24 anos, estados como São Paulo, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rondônia, Distrito Federal, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Pernambuco e Minas Gerais conseguiram reduzir a quantidade de óbitos por causas externas, estatística que inclui as vítimas da violência. Por outro lado, houve aumento em estados como a Bahia, Sergipe e Piauí.

Compartilhe

Deixe um comentário