PF cumpre no Ceará mandados contra esquema de fraudes na Caixa Econômica

0

A Polícia Federal no Ceará deflagrou, na manhã desta sexta-feira (15), uma operação contra uma organização criminosa suspeita de fraudes de R$ 3 milhões contra a Caixa Econômica Federal (CEF). A ‘Operação Marco Zero’ cumpre seis mandados de busca e apreensão expedidos pela 18ª Vara da Justiça Federal em Sobral, Região Norte do estado.

Até às 9h, a Polícia Federal não havia confirmado se houve prisões relacionadas a essas fraudes. No estado do Piauí, os policiais federais prenderam 12 pessoas suspeitas de roubar dinheiro de clientes da Caixa.

Segundo a PF, o grupo criminoso investigado é formado por empregados públicos da Caixa Econômica Federal, empresários, contadores e pessoas físicas que figuram como sócios “laranjas” de empresas de fachadas criadas para obtenção de empréstimos fraudulentos.

As investigações apontaram que a organização criminosa agia inicialmente aliciando pessoas para integrar o quadro societário de empresas de fachada. Na sequência, o grupo falsificava documentos para solicitar os pedidos de empréstimos.

Os servidores da instituição financeira envolvidos manipulavam o processo de concessão dos empréstimos, ignorando normas básicas de segurança. Eles também não verificavam a documentação necessária e inseriam dados falsos nos sistemas corporativos da Caixa.

Após a concessão dos empréstimos, os valores eram sacados em espécie ou transferidos para terceiros (pessoas físicas e jurídicas). A dívida originária era maqueada para que os integrantes do esquema realizassem novos empréstimos em quantias mais elevadas.

Prejuízos

A Polícia Federal estima que as fraudes causaram um prejuízo à Caixa Econômica Federal superior ao montante de R$ 3 milhões. As medidas judiciais cumpridas objetivam colher mais indícios sobre a participação de cada um dos membros da organização criminosa, bem como rastrear e recuperar o dano causado ao erário.

Os investigados responderão, na medida de suas participações, pelos crimes de estelionato, falsidade ideológica, uso de documento falso, peculato, corrupção ativa e passiva, crime financeiro, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

O nome “Operação Marco Zero” é referente à cidade de Marco, região Norte do Ceará. Conforme a PF, os empréstimos fraudulentos foram concedidos de agências nesta cidade.

Operação Caixa Preta

No ano passado, a Polícia Federal realizou a “Operação Caixa Preta”, que prendeu mais de 10 pessoas suspeitas de fraudes superiores a R$ 50 milhões na Caixa Econômica Federal no Ceará. Os 15 mandados de prisão resultaram na prisão de dois gerentes, um deles já havia sido preso na Operação Fidúcia. Segundo a Caixa Econômica, os gerentes já foram demitidos de suas unidades.

As investigações apontam que a organização criminosa agia inicialmente aliciando pessoas para integrar o quadro societário de empresas de fachada. Na sequência, o grupo ocupava-se da elaboração da documentação falsa para instruir os pedidos de empréstimo.

G1

Compartilhe

Deixe um comentário