Ouvir Rádio: Rádio Senado Fale Conosco

44 médicos começam a atuar em programa da Prefeitura de Fortaleza com bolsa de R$ 11,3 mil

0

O Programa Médico Família começa a receber mais 44 médicos nesta sexta-feira (4), para atuação no atendimento primário à saúde da família. Com os novos profissionais, o projeto, realizado em convênio pela Prefeitura de Fortaleza e o Governo do Estado, passa a contar com 134 integrantes. Os selecionados recebem bolsa de R$ 11,3 mil durante todo o curso, pagos pela Prefeitura de Fortaleza.

O curso possui 40 horas semanais, com caráter de pós-graduação e é exclusivo para profissionais da medicina, com duração de 12 meses. Segundo o coordenador geral do programa, o médico Rômulo Fernandes, 32 horas do curso são voltadas para a prática, quando o médico estará em atendimento à comunidade em postos de saúde de Fortaleza, sob a supervisão de um tutor. As 8 horas restantes de curso são voltadas para discussão em sala de aula na Escola de Saúde Pública de Fortaleza.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), os 44 integrantes selecionados na segunda chamada fazem parte da primeira turma selecionada para o curso. Eles se juntam aos outros 90 profissionais antes chamados. Com isso, Fortaleza chega à 366 equipes completas no tratamento básico à família, o que representa um aumento de 10% em relação ao ano de 2018.

Motivação

Rômulo Fernandes completa, ainda, que “quando um médico faz um curso de pós-graduação, ele é inserido na realidade da comunidade. Isso vai fazê-lo trabalhar voltado às necessidades da população. Ele vai estar mais gabaritado, vai encaminhar menos (para outros médicos), as pessoas vão procurar menos emergência, pois vão ter acesso ao serviço de saúde perto de casa, pois mais médicos vão ter capacitação”.

A coordenadora de ensino e pesquisa de programas especiais da SMS, Ana Maria Cavalcante, por sua vez, garante a ideia de realização do projeto surgiu a partir da retirada dos médicos do programa federal Mais Médicos. Após isso, a Prefeitura de Fortaleza optou pela criação de um programa visando o atendimento à sociedade e a capacitação dos profissionais, de maneira concomitante. É o que assegura Ana Maria.

G1 CE

Compartilhe

Deixe um comentário