Ouvir Rádio: Rádio Senado / Universitária FM 107.9 Fale Conosco

Campanha de vacinação contra gripe é prorrogada no Ceará para grupos prioritários

0

Prevista para acabar nesta sexta-feira (31), a campanha de vacinação contra gripe vai prosseguir até 14 de junho no Ceará. De acordo com a Secretaria da Saúde do Estado, o Ceará vacinou 82% do público-alvo, quando a meta é imunizar 90% do grupo prioritário.

As vacinas estão disponíveis em todos os postos de saúde nos 184 municípios do Ceará, conforme a Secretaria da Saúde.

A imunização, no entanto, continua exclusivamente para os grupos prioritários (veja a lista abaixo).

O Ministério da Saúde recomendou nesta sexta-feira que as vacinas fossem liberadas para todo o público. No entanto, a Secretaria da Saúde do Ceará vai manter as doses voltadas ao público mais vulnerável até 14 de junho.

Taxa de vacinação contra a gripe em grupos prioritários
Dose está disponível nas unidades de saúde do SUS
Porcentagem vacina da população103,3103,394,994,990,690,688,888,890,890,878,478,474,574,574,274,273,573,559,559,536,836,8Func. do sistema prisionalPuérperasIndígenasIdososProfessoresTrabalhadores de saúdeGestantesCriançasPessoas com comorbidadesPopulação privada de liberdadeProf. de segurança e salvamento0100255075125
Fonte: Ministério da Saúde

Os grupos prioritários são as crianças de 6 meses até menores de 6 anos, gestantes, idosos com 60 anos ou mais, mulheres com até 45 dias pós-parto, doentes crônicos, trabalhadores da saúde, população indígena, adolescentes e jovens sob medida socioeducativa, população carcerária e funcionários do sistema prisional e professores de escolas públicas e particulares e profissionais das forças de segurança e salvamento (policiais civis, militares, bombeiros e membros ativos das Forças Armadas).

Baixa procura

Até esta sexta, apenas seis estados atingiram a meta de vacinação: Amazonas (98,5%), Amapá (98,5%), Pernambuco (93,6%), Espírito Santo (91,3%), Rondônia (90,4%) e Maranhão (90%).

Para Juarez Cunha, médico pediatra e presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), a baixa adesão em alguns estados não tem relação direta com o horário da abertura das unidades de saúde e sim com o fato de as pessoas não estarem com receio de pegar a gripe.

“Não é um problema de horário, de atendimento. Já tivemos campanhas com mais de 90% de cobertura com o horário que atualmente é o mesmo. O principal fator é que as pessoas só se mobilizam quando começa a ter uma movimentação na mídia informando esses casos de doenças, em número e em casos mais graves.” – Juarez Cunha, presidente da SBIm

O médico lembra que há uma “falsa segurança” de que a doença é leve. “As pessoas às vezes ficam achando que o quadro gripal não complica, não leva à morte. Mas pode sim complicar e levar à morte”, afirma.

Casos de gripe

Até 11 de maio, foram registrados 807 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grace (SRAG) devido ao vírus influenza em todo o país. Foram 144 mortes no mesmo período, sendo que o subtipo predominante é o influenza A (H1N1), responsável por 407 casos e 86 óbitos do total.

Compartilhe

Deixe um comentário