Ouvir Rádio: Rádio Senado Fale Conosco

Aglomeração em festa com paredão de som é dispersa a tiros em posto de combustíveis de Fortaleza

0

as


Aglomeração com paredão de som é dispersa a tiros em posto de combustíveis de Fortaleza

–:–/–:–

Aglomeração com paredão de som é dispersa a tiros em posto de combustíveis de Fortaleza

Aglomeração, som alto e tiros de bala de borracha marcaram a madrugada deste sábado (26) em um posto de combustíveis localizado no cruzamento da Avenida Pontes Vieira com a Rua Osvaldo Cruz, no Bairro Dionísio Torres, área nobre de Fortaleza. A movimentação no estabelecimento aconteceu até por volta de quatro horas da manhã, não sem antes prejudicar o sono alheio e desrespeitar as normas de distanciamento social em virtude da pandemia do novo coronavírus.

A Polícia Militar do Ceará (PMCE) foi acionada para atender a ocorrência, realizando a dispersão das pessoas envolvidas com apoio da Agência de Fiscalização de Fortaleza (Agefis) e da Guarda Municipal. Moradores do entorno contam que ouviram tiros no momento do ocorrido, alegando que a PM utilizou balas de borracha para debandar a multidão.

Em nota, a PMCE informa que, na ocasião, “foi mantido contato com o gerente do posto de gasolina, onde acontecia a aglomeração e o som alto, que fechou a loja de conveniência”. Após os fatos, segundo o órgão, a situação foi normalizada.

Revolta

Residentes no entorno do posto, contudo, reclamaram da agitação. Um deles, que decidiu preservar a identidade, comenta a insatisfação de quem tentava descansar e não conseguiu. “Hoje, encontrei com algumas pessoas pela manhã dizendo que estão super revoltadas. Eu não sei como é que tem gente que se acha no direito de deixar centenas de pessoas sem o direito de dormir. Isso é um absurdo, uma coisa que não pode acontecer”.

Por sua vez, outro morador, que há 17 anos vive em um dos prédios da localidade e também não quis se identificar, relatou que a situação do barulho na madrugada foi algo “estarrecedor”. “Liguei para o 190, mas a viatura demorou muito a chegar, na faixa de uns 50 minutos. Nessa hora, teve uma sequência que parecia tiro – não sei se era bala de borracha ou tiro pra cima. Deu para ver que todos corriam muito”, relata.

“Ninguém aqui em casa conseguiu dormir, inclusive minha mãe, que tem 91 anos e sofre de Alzheimer. A cuidadora dela também não dormiu porque não dava. Nunca vi uma situação daquela, parecia realmente uma terra sem lei, literalmente”, completa.

Providências

A proprietária do posto, Lina Pessoa, explicou à reportagem que a situação de aglomeração e som alto não depende do estabelecimento, ressaltando, inclusive, que eles próprios, enquanto donos do espaço, também chegaram a ligar para a polícia para dispersar a multidão.

“A gente cumpre com todas as regras que a prefeitura pede, não deixamos entrar na loja mais de cinco pessoas, entre outras questões. Mas não temos o poder de mandar nas pessoas. Por isso, entramos em contato com a polícia para ela nos ajudar, nos resguardar”, diz.

“Hoje mesmo vai chegar uma faixa com quatro metros de tamanho, onde estará escrito ‘Proibido som automotivo’ com a lei embaixo, que é pra ver se a gente consegue inibir quem coloca o paredão de som”, completa.

A PMCE ratifica que, caso haja aglomeração de pessoas e/ou paredões de som que causem perturbação do sossego alheio, o órgão pode ser acionado por meio do telefone 190. O sigilo e anonimato do denunciante são garantidos.

G1 CE

Compartilhe

Deixe um comentário