Ouvir Rádio: Rádio Senado | Rádio Câmara Fale Conosco

Ceará tem 5º pior desempenho em março e perde 4,6 mil vagas de emprego

0
Após alta em março, o Ceará voltou a perder vagas de emprego em março de 2017, segundos dados oficiais do Caged (Foto: Reprodução) Após alta em março, o Ceará voltou a perder vagas de emprego em março de 2017, segundos dados oficiais do Caged (Foto: Reprodução)

Após alta em março, o Ceará voltou a perder vagas de emprego em março de 2017, segundos dados oficiais do Caged (Foto: Reprodução)

Após crescimento nos empregos em fevereiro, o Ceará voltou a apresentar forte queda no número de empregados em março. No mês passado, o Ceará teve o 5º pior desempenho entre os 26 estados e Brasília e demitiu 4.675 pessoas a mais do que admitiu, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (20) pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).

O mês passado foi o segundo pior março desde o início da série histórica, em 2003. O pior março foi o de 2016, com 4.701 demissões a mais que admissões.

O setor que mais demitiu foi o comércio, com 1.447 vagas a menos disponíveis no mercado. Em seguida aparecem construção civil (-1.258), serviços (-1.022), indústria da transformação (-548), agropecuária (-286), serviços industriais de utilidade pública (-235) e atividade extrativa mineral (-54).

O único setor com saldo positivo em março deste ano foi a administração pública, com 175 demissões a mais que o número de contratações formais, com carteira assinada.

Demissões no país

Considerando todo o país, as demissões superaram as contratações em 63.624 vagas. A redução das 63.624 vagas de emprego é resultado de 1.251.332 admissões e de 1.324.956 demissões em março. No acumulado do primeiro trimestre de 2017, o país registrou o fechamento de 64.378 postos de trabalho.

No mês de fevereiro, após 22 meses de queda no número de postos de trabalho formal, o Brasil voltou a gerar emprego, com um saldo de 35.612 novos postos de trabalho com carteira assinada. Na série ajustada, divulgada nesta quinta, o número de fevereiro subiu para uma criação de 40.147 vagas.

Compartilhe

Deixe um comentário