Eunício diz que MDB tem sair do “governismo” e que vai trabalhar por “convergência”

0

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

Em entrevista ao O Povo, a primeira desde a derrota nas urnas, o senador Eunício Oliveira (MDB) disse que não descarta voltar a disputar uma eleição. “Não posso dizer que não vou mais disputar. Neste momento, vou me recolher“. Por enquanto, ele afirma que pretende “continuar contribuindo” com o Ceará e fazendo “política partidária”.

Questionado sobre o posicionamento em um governo de Jair Bolsonaro, respondeu: “defendo que o MDB se reinvente. Para isso, tem que sair desse governismo. Não precisa ir para uma oposição radicalizada. Eu acho que tem que ter posição de independência (em relação ao futuro governo), de apoiar o Brasil, de ter a liberdade de votar contra aquilo que não seja de interesse do País”.

O presidente do Senado diz que mantém sua posição de votar no “presidente Lula e que votaria no candidato que o Lula indicasse. Vou manter minha coerência. E depois vou tentar fazer a convergência e lutar para que o Brasil continue democrático“.

O emedebista disse ainda acreditar na chance de virada de Fernando Haddad (PT), citando seu próprio caso como exemplo. “Eu sou exemplo disso. Tinha 43% no Ibope contra 16% do adversário no sábado à noite. E, no domingo, perdi a eleição”.

Ceará
Sobre o Ceará e a relação com Camilo Santana,
com quem cumpriu agenda por três dias seguidos na semana passada, ele diz que sua intenção é a de “contribuir”. Ambos cumpriram agenda em Brasília para liberar recursos para o Estado. “Nenhum estado do Brasil recebeu tantos recursos do Governo Federal como o Ceará nesses últimos meses”.

 

Compartilhe

Deixe um comentário