Ouvir Rádio: Rádio Senado / Universitária FM 107.9 Fale Conosco

Fed corta a taxa de juros nos EUA pela segunda vez no ano

0

Federal Reserve (Fed), banco central dos Estados Unidos, informou nesta quarta-feira (18) que decidiu cortar as taxas de juros no país em 0,25 ponto percentual, para o intervalo entre 1,75% e 2%.

Taxas de juros nos EUA
em %
em %mínimamáximajan 17fev 17mar 17abr 17mai 17jun 17jul 17ago 17set 17out 17nov 17dez 17jan 18fev 18mar 18abr 18mai 18jun 18jul 18ago 18set 18nov 18dez 18jan 19mar 19mai 19jun 19jul 19set 1900,511,522,53

jan 17
● máxima: 0,25
Fonte: Fed

No comunicado desta quarta, o Fed cita entre as justificativas para a decisão as perspectivas para o desenvolvimento da economia global e a fraqueza de pressões inflacionárias, embora tenha apontado que a economia norte-americana siga crescendo em um ritmo “moderado” e o mercado de trabalho “permaneça forte”.

A redução confirma a expectativa do mercado, e se alinha ao movimento de estímulos dos bancos centrais de diversos países em meio aos receios sobre o crescimento da economia global. A decisão acontece em meio a preocupações sobre os impactos da guerra comercial entre Estados Unidos e China sobre outros países, por exemplo.

REUTERS/Kevin Lamarque/ — Foto: Sede do Federal Reserve em Washington, D.C, em imagem de arquivoREUTERS/Kevin Lamarque/ — Foto: Sede do Federal Reserve em Washington, D.C, em imagem de arquivo

REUTERS/Kevin Lamarque/ — Foto: Sede do Federal Reserve em Washington, D.C, em imagem de arquivo

Foi o segundo corte dos juros norte-americanos neste ano. Em julho, o Fed já havia reduzido a taxa em 0,25 ponto percentual, no primeiro corte desde 2008.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tem se manifestado em defesa da necessidade de cortes na taxa de juros no país. Após a decisão desta quarta, ele criticou o Fed e seu presidente, Jerome Powell, no Twitter. “Jay Powell e o Federal Reserve fracassaram de novo. Sem coragem, sem bom senso, sem visão! Um comunicador terrível”, escreveu o presidente, que queria um corte maior.

Próximos passos

A decisão do Fed impacta os mercados no mundo todo. No Brasil, influenciou os negócios na bolsa de São Paulo, a B3, e o mercado de câmbio. Agora, investidores aguardam sinais sobre os próximos passos, e por isso repercutem a divisão entre os membros do comitê. Na reunião desta quarta, um membro queria um corte ainda mais acentuado, enquanto outros dois se opunham a qualquer redução.

Em coletiva de imprensa após a divulgação do comunicado, Jerome Powell disse que não há um “curso predefinido” da taxa de juros norte-americana. “Se a economia desacelerar, uma sequência mais extensa de cortes nas taxas poderá ser apropriada”, afirmou. “Vamos ser altamente dependentes de dados… Não estamos em um curso predefinido.”

Powell disse que a perspectiva econômica dos EUA é “favorável”, mas que o Fed decidiu cortar os juros “para fornecer seguro contra riscos contínuos”, incluindo fraco crescimento global e a persistência de tensões comerciais.

Intervenção no mercado

O anúncio de redução de juros ocorre horas depois de o Fed de Nova York intervir pelo segundo dia consecutivo no mercado para evitar um forte aumento nos empréstimos de curto prazo para bancos e empresas.

O Fed injetou US$ 75 bilhões ao recomprar ativos de um dia contra pedidos de pouco mais de US$ 80 bilhões.

Na terça-feira, o Fed nova-iorquino gastou US$ 53 bilhões para aumentar a liquidez do mercado monetário. É a primeira vez desde a crise financeira de 2008 que o Fed de Nova York intervém nos mercados.

G1

Compartilhe

Deixe um comentário