Ouvir Rádio: Rádio Senado Fale Conosco

Fortaleza concentra mais da metade das concessões de auxílio-doença por conta da Covid-19 em 2020

0

O número total de concessões de benefícios previdenciários em todo o Ceará em razão de doenças provocadas pela pandemia, em 2020, foi 15 vezes superior à soma dos sete anos anteriores.

Fortaleza concentra mais de 53% das concessões de auxílio-doença por conta da Covid-19 em 2020. Ao todo a capital registrou 883 pedidos.

O número de concessões de benefícios previdenciários em todo o Ceará em razão de doenças provocadas pela pandemia, em 2020, foi 15 vezes superior à soma dos sete anos anteriores. Considerando os adoecimentos por vírus de localização não especificada e por Covid-19, o INSS concedeu 1.648 benefícios no ano passado, enquanto de 2012 a 2019 o total registrado no Estado foi de apenas 101.

Os dados são do Observatório de Segurança e Saúde no Trabalho, desenvolvido no âmbito da iniciativa SmartLab de Trabalho Decente, uma cooperação entre Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Organização Internacional do Trabalho (OIT).

Além de Fortaleza outras cidades aparecem na lista com mais concessões de auxílio-doença. São elas:

  • Juazeiro do Norte: 68
  • Sobral: 59
  • Caucaia: 54
  • Maracanaú: 53

Entre as ocupações que registraram mais afastamentos no Estado em 2020 estão:

  • técnicos de enfermagem: 50
  • linha de produção: 32
  • faxineiros: 28
  • auxiliares de enfermagem: 24
  • zeladores de edifício: 21
  • vigilantes: 21

Antes da pandemia, já existia na Classificação Internacional de Doenças (CID) o código B34 referente a “Doenças por vírus, de localização não especificada”. Já em 2020, foi incluído na CID um código específico para a Covid-19: U07.

“Os dados nos levam a crer que, diante da falta de orientação/taxonomia precisa quanto à notificação, os registros foram feitos com o uso de códigos já existentes”, analisa a procuradora-chefe do MPT no Ceará Mariana Férrer. “Até então raramente ou quase nunca as infecções virais resultavam em comunicações de acidentes de trabalho e afastamentos previdenciários”, complementa.

Acidentes de trabalho

Em 2020, foram notificados no Ceará 463 acidentes de trabalho no Ceará por Covid-19 ou doenças por vírus de localização não especificada. Entre as ocupações mais frequentes estão técnicas(os) de enfermagem e enfermeiras(os), que concentram juntos 41% das comunicações. Em seguida, estão os auxiliares de escritório (6%), zeladores de edifício (4%), assistentes administrativos (4%), faxineiros (3%) e recepcionistas em geral (3%).

Em todo país, foram comunicados 20.797 acidentes de trabalho pela Covid-19 em 2020, o que representa 4,7% do total de notificações. Na série histórica, os profissionais do setor de atendimento hospitalar estão sempre no topo da lista em quantidade de casos. Porém, em 2020, houve crescimento de 8% em números absolutos dos registros envolvendo profissionais dessa categoria da saúde.

Desde abril de 2020, após decisão do Supremo Tribunal Federal, a contaminação pelo novo coronavírus pode configurar acidente de trabalho se a infecção ocorrer durante o exercício da atividade profissional.

Compartilhe

Deixe um comentário