João Amoêdo defende ‘novo modelo de Estado’ e nega ser de direita: ‘temos viés liberal’

0

João Amoêdo, pré-candidato à presidência da República pelo Partido Novo, avaliou como ‘natural’ a baixa intenção de voto revelada pela última pesquisa Datafolha – ele aparece com 0% e 1%, dependendo do cenário. Ele ponderou que o partido tem pouco tempo de criação, e que políticos mais conhecidos aparecem com índices semelhantes. ‘Defendemos uma nova forma de fazer política, com posturas diferentes, cortando benefícios e privilégios’, afirmou. ‘Vamos crescer bastante.’

Amoêdo acredita que o eleitor se preocupe cada vez menos com posicionamentos à esquerda ou à direita e negou fazer parte do segundo lado. De acordo com ele, o Partido Novo tem viés liberal. ‘A gente quer um estado que funcione para o cidadão, e não o contrário’, disse. Ele acrescentou, ainda, que os brasileiros estão cansados de trabalhar tendo ‘muito pouco em troca’, e estão pensando em uma renovação.

Um dos fundadores do partido, o pré-candidato se disse favorável à total privatização das estatais brasileiras e defendeu o enxugamento da gestão pública, reduzindo o número de ministérios para dez. Ele também voltou a afirmar que a melhor forma de combater a pobreza não é distribuindo renda, mas criando riqueza, dando condições favoráveis para o cidadão empreender, com menos burocracia e menos regulações do governo.

Questionado sobre a intervenção federal no Rio de Janeiro, Amoêdo se disse ‘favorável’ que ela tenha ocorrido, dizendo que a ‘falta de governo’ no estado demandava a ação. ‘A intervenção federal tem que ser uma exceção’, analisou, dizendo também que gostaria de tirar as tropas do local quando fosse eleito. Ele afirmou, ainda, que não é favorável à legalização das drogas.

CBN

Compartilhe

Deixe um comentário