Ouvir Rádio: Rádio Senado | Rádio Câmara Fale Conosco

Lei do Gás: preço da energia elétrica pode cair a 50% e o botijão de gás a 30%

0

A aprovação do Projeto de Lei nº 6407/13, a nova Lei do Gás, deve reduzir os preços na economia. O gás natural é usado não apenas na casa das famílias brasileiras, mas, também, como insumo em diferentes segmentos da indústria. Por esse motivo, a abertura do mercado para o capital privado pode reduzir os custos da commoditie em toda a cadeia produtiva. Sobretudo, evidentemente, para o botijão de gás consumido nos lares. E também para a energia elétrica.

O governo calcula, por sinal, que a aprovação da lei pode reduzir o preço da energia elétrica entre 30% a 50%. É o que aponta o Secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade (Sepec) do Ministério da Economia, Carlos Alexandre Da Costa. Os percentuais foram ditos por ele em reunião com empresários do setor nesta terça-feira, 11.

A aprovação do novo marco legal do gás natural é encarada por Costa como uma “grande alavanca para a reindustrialização”. “Seja para a redução do preço do gás natural, como para a redução do preço da energia elétrica, que, de acordo com nossas estimativas, podem chegar a 30%, 40%, 50%, dependendo do estado”, destacou.

O gás, acrescentou Costa, é insumo para outras indústrias e uma geração “extraordinária” de empregos, renda e investimentos. A equipe econômica finaliza uma nota técnica com mais detalhes sobre o assunto, com a conclusão de estimativas por estados dos impactos.

Botijão

O relator do PL nº 6407/13, deputado Laércio Oliveira (PP-SE), calcula que o preço do botijão de gás às famílias possa cair 30% com a aprovação do texto. “Queremos preços nas prateleiras mais em conta. Queremos o botijão de gás com preço mais em conta e a expectativa é que esse gás chegue com redução de 30%. Estamos pavimentando esse caminho”, disse.

A expectativa é comparar o custo do botijão de gás ao mercado internacional. “A gente não quer mais viver esse momento que vivemos hoje, com o preço do gás ao valor de US$ 14, um dos maiores custos do mundo inteiro, seja o gás um insumo tão importante para a indústria. Não queremos mais notícias de que as indústrias estão fechados porque não é possível fazer competitividade no mundo todo”, sustenta. Em outros países, o custo é na ordem de US$ 5 a 7.

/Revista Oeste

Compartilhe

Deixe um comentário