Lobby faz o governo mentir sobre passagens

0
O lobby das empresas fez a cúpula do Ministério do Planejamento divulgar nota em defesa da medida indecorosa do governo Dilma que permitiu a compra de passagens sem licitação ou redução de preços. E ainda fez o governo contar a lorota da “economia”, uma verdade: além dos R$41 milhões que as aéreas foram dispensadas de reter na fonte, configurando custo tributário, o Serpro ainda paga R$4,7 milhões por ano à Envision Informática Ltda pelo sistema de compra de passagens.
A compra direta, além de não obter a menor tarifa, onera o governo com o pagamento de sistemas da Envision.
O Serpro paga pelo uso do sistema da Envision e o custo de centenas de servidores da estrutura montada na Central de Compras.
Outro efeito colateral da negociata do Planejamento com as aéreas foi o desemprego decorrente do fim de muitas agências de viagem.
Agências disponibilizavam, sem custo, sistemas de pesquisa de melhor preço para compra de passagens, e isso não interessava às aéreas.
 
O acordo de US$ 2,95 bilhões (R$ 9,5 bilhões), fechado pela Petrobras junto a justiça dos Estados Unidos na class action lawsuit movida pelos acionistas prejudicados pela roubalheira na estatal evitou o pagamento dos US$ 98 bilhões (R$ 316,5 bilhões) exigidos no processo. O pedido de indenização é alto nesse tipo de ação porque enganar acionistas por lá é crime grave, mas o acordo é normal nesse tipo de ação coletiva.
Foram mais de três anos de batalha judicial e o acordo custará menos da metade dos R$ 20 bilhões previstos por advogados especialistas.
A ação contra a Petrobras se baseou no não cumprimento das regras da SEC (CVM de lá) para empresas com ações na bolsa de Nova York.
A Odebrecht foi acionada, também na US District Court – Eastern District, a pagar multa de US$ 2,6 bilhões por pagamento de propinas.
Mais votado que Renan Calheiros para o Senado, em 2010, Benedito de Lira (PP-AL) promete repetir o feito, revigorado com a absolvição na Lava Jato. Mas Renan tem outros obstáculos para manter o mandato.
Além de 17 inquéritos no STF, para ser candidato Renan Calheiros terá de derrubar condenação da 14ª Vara Federal de Brasília, de novembro, para evitar perder o mandato e os direitos políticos por 8 anos.
Valeska Martins Teixeira, advogada (e mulher e filha dos advogados de Lula), atacou Sérgio Moro e disse que “não trabalha com outra hipótese a não ser a absolvição”. Convém trabalhar, doutora, convém trabalhar…
O Santander português (ou Totta Santander) impede correntistas de receberem dinheiro investido em moedas virtuais. A clientela teve até de mudar de banco para receber em euros o investimento em bitcoin.
A inadimplência do consumidor caiu 3,5% em 2017, segundo dados do Boa Vista SCPC. Os nordestinos foram quem mais melhoraram no pagamento das dívidas: 5,4% a menos na inadimplência da região.
A Caixa Econômica alardeou que neste sábado (13) a mega-sena pode pagar R$12 milhões, no quarto sorteio desde a mega-sena da Virada. O sorteio do dia 31, de R$ 306 milhões, foi o último a não acumular.
O sepultamento do cientista politico João Paulo Peixoto, professor da Universidade de Brasília (UnB) e colaborador do site Diário do Poder, é neste sábado entre 13h e 16h, no Campo da Esperança, em Brasília.
Há exatos 48 anos era instituída a censura prévia de livros e jornais no Brasil. O decreto-lei 1.077 foi aprovado pela Câmara controlada pelo terceiro ditador militar, o general Emílio Garrastazu Médici.
…este ano a eleição deve bater recorde de candidatos, mas isso não é necessariamente uma boa notícia.
Diário do Poder
Compartilhe

Deixe um comentário