Ouvir Rádio: Rádio Senado Fale Conosco

Lula em liberdade: parlamentares, líderes e imprensa mundial reagem

0
Liberado da prisão nesta sexta-feira (8/11), após 580 dias de encarceramento, o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva movimentou a fala de parlamentares, líderes mundiais e a imprensa internacional.
Pelo Twitter, o presidente argentino Alberto Fernández celebrou a libertação de Lula: “Mova a força de @LulaOficial para enfrentar essa perseguição (apenas essa definição se encaixa no processo judicial arbitrário ao qual foi submetida). Sua força demonstra não apenas o compromisso, mas a imensidão daquele homem”.

Alberto Fernández

@alferdez

Conmueve la fortaleza de @LulaOficial para afrontar esta persecución (solo esa definición le cabe al proceso judicial arbitrario al que fue sometido). Su entereza demuestra no solo el compromiso sino la inmensidad de ese hombre.

¡Viva !

Ver imagem no Twitter
9.704 pessoas estão falando sobre isso

A vice de Fernández  e ex-presidente argentina Cristina Kirchner também se manifestou: “caso foi uma das maiores aberrações da ‘guerra jurídica’ na América Latina”.
O candidato à presidência norte-americano Bernie Sanders foi outro que parabenizou o ex-presidente.

Cristina Kirchner

@CFKArgentina

Cesa hoy una de las aberraciones más grandes del Lawfare en Latinoamérica: la privación ilegítima de la libertad del ex Presidente de la República Federativa de Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva.

Ver imagem no Twitter
11,6 mil pessoas estão falando sobre isso

Parlamentares também se manifestaram:

A deputada Maria do Rosário (PT-RS) também comemorou a saída do ex-presidente da prisão: “emoção por Lula, pela democracia e pelo Brasil. Gratidão pelas pessoas que ficaram em vigília cada dia desta injusta prisão. A verdade sobre o processo falso de Moro foi desmascarada pela #VazaJato por jornalistas livres. Temos um país pelo qual lutar. Um povo para amar”.
Deputados da ala antipetista criticaram o ex-presidente e também o Supremo Tribunal Federal (STF). A liberdade a Lula foi concedida a partir da decisão do plenário da Corte, tomada nesta quinta-feira (7)de que condenados pela Justiça só poder cumprir pena após seus processos transitarem em julgado, alterando a jurisprudência que levou Lula e outros condenados da Lava-Jato à prisão.
“Lula sai da cadeia, discursa e ataca o que chama de ‘lado podre’ da PF, MPF, PF e judiciário, referindo-se à Lava Jato. É o coice na cara do brasileiro consumado. Valeu STF!”, provocou a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP). A deputada Dayane Pimentel (PSL-BA) disse que Lula terá de enfrentar “uma política com uma renovação estrondosa no Congresso Nacional” que mostrará a “Lula e sua corja o que é patriotismo e compromisso com a população: leis, manifestações, discursos, reflexões… Lula, você ouviu falar de nós, agora vai ter que nos enfrentar”, publicou.
Kim Kataguiri (DEM-SP), criticou o PT pela militância contra o fim da prisão após condenação em segunda instância: “Cunha livre, Eduardo Azeredo livre e Sérgio Cabral livre. Parabéns, petistada, soltaram o ladrão de vocês (que não vai servir de nada porque está com os direitos políticos cassados) e ainda fizeram a alegria dos corruptos dos outros partidos. Golaço!”

Imprensa internacional

A imprensa europeia, que já tinha noticiado desde a madrugada a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de derrubar a prisão em segunda instância, agora dá destaque à liberação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do PT. Praticamente todos os veículos dão ênfase ao fato de que a decisão da Suprema Corte também abre as portas para a libertação de quase 5 mil detidos, incluindo condenados pela Operação Lava-Jato, que envolveu políticos e alguns dos empresários mais poderosos do País.
Na página principal do jornal britânico The Guardian se lê que Lula foi libertado da prisão, onde cumpria uma sentença de corrupção de 12 anos, após uma decisão da Suprema Corte que “encantou seus apoiadores e deixou os seguidores do presidente de extrema-direita Jair Bolsonaro enfurecidos”. “Lula foi recebido nesta sexta-feira por apoiadores delirantes do lado de fora da sede da polícia federal na cidade de Curitiba, onde ficou preso por 580 dias”, disse o diário.
Notícia do The Guardian(foto: Reprodução/The Guardian)
Notícia do The Guardian(foto: Reprodução/The Guardian)
Uma foto de Lula com o título: “Brasil: Lula está fora da prisão” é a principal notícia do site do jornal francês Le Figaro. “O carismático líder da esquerda brasileira de 74 anos esperou 580 dias para abrir a porta de sua cela na noite desta sexta-feira na sede da Polícia Federal em Curitiba, no sul do Brasil”, relata o periódico, lembrando que ele está a 1,4 mil quilômetros de distância de Brasília, onde a decisão do STF foi tomada.
No também francês Le Monde, a notícia está com um destaque de “alerta” escrito em vermelho. “Justiça brasileira autoriza libertação do ex-presidente Lula”, avisa, citando novamente que se tratou de um julgamento “controverso”, fruto da Operação Lava Jato. O jornal informa que Lula foi acusado de ter desfrutado de um triplex no balneário do Guarujá, perto de São Paulo, em troca de contratos concedidos a uma construtora.
No português Diário de Notícias, não só se trata da notícia principal, como acrescenta que, aguardado por milhares de apoiadores, Lula fará um tour pelo Brasil. “Recebeu o primeiro abraço da filha mais velha. Lurian, depois da noiva, Rosângela, de netos, e de Fernando Haddad, Gleisi Hoffmann e outros dirigentes do Partido dos Trabalhadores (PT). E em seguida discursou”, descreveu a publicação.
Com informações da Agência Estado.
Compartilhe

Deixe um comentário