Ouvir Rádio: Rádio Senado Fale Conosco

Mãe denuncia que ex desapareceu com as duas filhas do casal, de 3 e 4 anos, em Jijoca de Jericoacoara

0


Em Jijoca de Jericoacoara, mãe afirma que ex-companheiro fugiu com as duas filhas

–:–/–:–

Em Jijoca de Jericoacoara, mãe afirma que ex-companheiro fugiu com as duas filhas

A Polícia Civil investiga o desaparecimento de duas irmãs de 3 e 4 anos no município de Jijoca de Jericoacoara, no litoral cearense. Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), o caso foi comunicado a Delegacia Municipal de Jijoca nesta segunda-feira (3). A mãe disse à polícia que o pai das meninas sumiu com as duas.

Conforme a SSPDS, a polícia realiza buscas e “mais informações serão divulgadas em momento oportuno”.

Segundo o padastro das crianças, Jefferson Leitão Gadelha, as meninas foram deixadas por ele na casa do pai na última sexta-feira (30). No domingo (2), quando ele foi buscar as enteadas por volta das 19h, como ficou combinado com o pai, a residência estava fechada e não havia ninguém no local.

A enfermeira Ana Caroline Santos Gadelha Leitão, mãe das meninas, afirma que ainda ligou para o suspeito, mas o celular dele estava desligado. “O celular dele estava desligado, o WhatsApp dele com a última visualização na sexta-feira. Nenhum familiar dele tem notícia, a família dele é da Bahia, ninguém viu”, disse.

No mesmo dia, segundo Jefferson, ele e a mãe das garotas foram a Delegacia Regional de Camocim, plantonista da região, onde registraram um Boletim de Ocorrência.

Somente na segunda-feira a noite, conforme o padastro, a juíza autorizou que a polícia entrasse na residência do pai das crianças. Nenhum pertence do homem ou das crianças foi encontrado no local, além disso, Jefferson relata que o HD que armazena as imagens das câmeras de segurança foi levado pelo homem, que também queimou alguns documentos.

Ana Caroline e o pai das meninas tiveram um relacionamento de cinco anos. Durante o período, segundo a mulher, o suspeito foi agressivo e chegou a ameaçá-la de morte.

Por conta dessas ações, após a separação a enfermeira solicitou uma medida protetiva para ela e as filhas, porém o pai das garotas conseguiu uma liminar na Justiça, autorizando o contato com as crianças. “Após quatro meses que ele conseguiu as visitas ele fez isso com as minhas filhas”, relata.

A mãe faz um apelo para que as meninas sejam encontradas. “Alguém que veja as minhas filhas em qualquer lugar desse Brasil entre em contato com a gente, entre em contato com a polícia. As minhas filhas só têm três e quando aninhos, elas precisam de mim e eu preciso delas”.

G1 CE

Compartilhe

Deixe um comentário