Ouvir Rádio: Rádio Senado / Universitária FM 107.9 Fale Conosco

Número de mortos em terremoto na fronteira do Iraque com o Irã sobe para 530

0
Sobe para quinhentos e trinta o número de mortos no terremoto do Irã

Sobe para quinhentos e trinta o número de mortos no terremoto do Irã

Na manhã desta terça, no horário local, as autoridades declararam encerrados os esforços de busca por vítimas, segundo a TV estatal. Cerca de 30 mil casas ficaram destruídas, segundo a emissora de televisão estatal, e o fornecimento de água e luz segue cortado nas áreas mais atingidas.

Mansoureh Bagheri, funcionário do Crescente Vermelho (instituição humanitária associada ao comitê internacional da Cruz Vermelha), afirmou à BBC que 12 mil imóveis ficaram completamente destruídos.

Esforços de reconstrução

A Fundação de Moradia da Revolução Islâmica será a encarregada do processo de reconstrução e com ela, segundo Rouhani, colaborarão todos os funcionários governamentais, militares e ONGs.

O presidente também agradeceu ao Exército, aos Guardiões da Revolução, ao Crescente Vermelho, às organizações de socorro e a vários ministérios por seu trabalho para “resolver o problema da água, da eletricidade e das estradas, e para salvar as pessoas debaixo dos escombros e levá-las aos hospitais”.

“Não há um iraniano que não esteja pensando hoje no povo de Kermanshah”, ressaltou o presidente. Durante sua visita, ainda estão previstos uma reunião com os organismos que estão administrando a crise e o encontro com as autoridades locais de Kermanshah.

A população se mobilizou para doar sangue para os feridos, que superam os 7.000, e organismos como o Crescente Vermelho se prontificaram a enviar ajuda humanitária às dezenas de milhares de pessoas que seguem em barracas de campanha devido à perda das suas casas ou pelo temor das réplicas.

Tremor

Embora o epicentro tenha sido registrado a 22,4 km de Derbendîxan, no Iraque, a maior parte das vítimas foram iranianas. O Iraque contabilizou oito mortes e 300 feridos na região do Curdistão iraquiano, sendo que a província iraniana de Suleimaniya foi a mais atingida.

Moradores da Turquia, de Israel e do Kuwait também sentiram o abalo, mas não houve registro de estragos ou vítimas.

Esse já é o tremor que mais deixou mortos em 2017, superando o número de vítimas do sismo que atingiu o México em setembro.

Mapa mostra região do terremoto, na fronteira do Iraque com o Irã (Foto: Alexandre Mauro/G1) Mapa mostra região do terremoto, na fronteira do Iraque com o Irã (Foto: Alexandre Mauro/G1)

Mapa mostra região do terremoto, na fronteira do Iraque com o Irã (Foto: Alexandre Mauro/G1)

Compartilhe

Deixe um comentário