Os sonhos dos 12 ‘Javali Selvagens’: meninos resgatados em caverna na Tailândia contam planos para o futuro

0

Pela primeira vez desde o resgate de dentro de uma caverna na Tailândia, os 12 meninos e o técnico do time “Javalis Selvagens” falaram a jornalistas. Na entrevista desta quarta-feira (18), o grupo falou sobre a fome e o medo que sentiram enquanto estiveram presos. Até pediram desculpas aos pais por se perderem.

Os garotos também aproveitaram a oportunidade para contar os sonhos e as perspectivas de vida de cada um, daqui para frente. Como alguns planos são comuns entre eles, alguns meninos contaram ter os mesmos projetos para o futuro. Confira:

Em coletiva, meninos da Tailândia contam vontade em virar mergulhadores após resgate

Em coletiva, meninos da Tailândia contam vontade em virar mergulhadores após resgate

Ekkapol Chantawong, 25 anos

  • Treinador do time e ex-monge budista

“Sou muito grato a cada um pelo apoio que nos deram. Vou viver com cuidado. Eu vou pensar duas vezes antes de fazer qualquer coisa”

Pornchai Khamluang, 16 anos

  • Zagueiro do time, os colegas o apelidavam de Tee

“Aprendi muitas coisas sobre esse período. Serei uma boa pessoa na comunidade.”

Adul Sam-on, 14 anos

  • Fala quatro línguas, inclusive inglês, e foi peça chave na comunicação com o resgate

“Acho que eu vou ser mais cuidadoso com incidentes imprevisíveis que aconteçam na minha vida. Essa experiência me mostra que tenho que ser mais consciente das consequências das minhas ações. A partir de agora vou viver com mais cuidado e sabiamente.”

Chanin Wiboonroongrueng, 11 anos

  • Atacante, o mais jovem jogador do grupo era apelidado Titan

“Essa experiência foi a maior da minha vida: eu aprendi valores sobre a minha vida. E essa experiência exigiu paciência, força e não perder a esperança.”

Mongkol Boonpium, 13 anos

  • Gosta de estudar e é chamado de Mark pelos colegas de time

“Eu quero ser um jogador de futebol profissional. Essa experiência me fez mais forte.”

Ekkarat Wongsookchan, 14 anos

  • Goleiro do time, é chamado de Bew pelos colegas

“Eu gostaria de ser jogador de futebol e entrar para a Marinha.”

Duangpetch Promthep, 13 anos

  • Dom, como é conhecido, joga como atacante e capitão dos “Javalis Selvagens”

“Eu também quero ser um jogador de futebol profissional e entrar para a Marinha.”

Peerapat Sompiengjai, 16 anos

  • Apelidado de Night, joga no meio de campo do time

“Quero estudar, me graduar e me tornar jogador da seleção nacional.”

Pipat Phothai, 15 anos

  • Conhecido como Nick, ele não jogava pelo time, mas era amigo dos jogadores segundo o ‘The Guardian’

“Quero estudar o máximo possível e me tornar um jogador de futebol profissional.”

Prajak Sutham, 14 anos

  • O meio de campo conhecido como Note jogava como goleiro às vezes

“Quero estudar o máximo possível e me tornar um jogador de futebol profissional.”

Panumas Saengdee, 13 anos

  • Com o apelido Mick, o jovem atua bem tanto como goleiro quanto como atacante

“Quero estudar o máximo possível para encontrar um bom emprego e me tornar um jogador de futebol profissional.”

Nattawoot Thakamsai, 14 anos

  • Os amigos o chamavam de Tle

“Não consigo pensar no que quero ser, só quero me dedicar aos estudos e me graduar.”

Somphong Jaiwong, 13 anos

  • Conhecido como Pong, o jovem também atua como meia no time

“Quero ser jogador de futebol profissional e entrar para a Marinha porque quero poder ajudar.”

G1

Compartilhe

Deixe um comentário