Ouvir Rádio: Rádio Senado Fale Conosco

Premiado, Lauro Fiúza anuncia investimento

0

Eleito para receber hoje, às 19 horas, no Palácio dos Bandeirantes, em SP, o “Prêmio Líderes Brasil” na categoria Líder do Estado do Ceará, outorgado pelo Lide, o empresário Lauro Fiúza Júnior – fundador da Servtec Energia e da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeólica) – transmite à coluna três informações: em parceria com a gestora norte-americana Franklin Templeton Investments, da qual nasceu o fundo de investimento Darby Servtec Energia FIP, está investindo neste momento R$ 400 milhões em projetos de Geração Distribuída eólica, solar e PCHs (pequenas centrais hidrelétricas) nos estados do Ceará, SP, RJ, BA e Distrito Federal; com a mesma parceira, está com projeto pronto para a instalação de uma usina de geração a gás natural (importado) com potência de 1,7 GW (gigawatts), a ser localizado em São Luís, no Maranhão. Esse projeto, que absorverá investimento de R$ 5 bilhões, disputará o leilão de energia a gás que o Ministério de Minas e Energia promoverá em março de 2020; também com o parceiro norte-americano e para o mesmo leilão, a Servtec Energia instalará no município de Presidente Kennedy, no litoral Sul do Espírito Santo, uma usina termelétrica a gás natural que terá potência instalada de 1,1 GW, na qual serão investidos R$ 4 bilhões.

Lauro Fiúza fornece um detalhe interessante e instigante: no tempo em que a Petrobras monopolizava o setor de óleo e gás natural, o preço por 1 milhão de m³ de gás chegava a US$ 16; agora, sem esse monopólio, a Servtec já pode importar esse mesmo volume de gás – ou adquiri-lo do pré-sal, aqui mesmo – por apenas US$ 2.

Horizonte

Da coordenadora do Lide-Ceará, empresária Emília Buarque, na reunião-almoço de sexta-feira (6), com o economista Bernard Appy: “No começo deste ano, éramos sócios de um país desastroso. Agora, quase 12 meses depois, há um horizonte de boas perspectivas”.

Reforma, já

No mesmo evento, Bernard Appy assustou os presentes ao dizer que o atual modelo tributário brasileiro – com mais de 50 impostos, taxas, contribuições e emolumentos – é tão complicado, que grandes empresas chegam a ter um time de 20 funcionários no escritório só para cuidar da contabilidade tributária. “No Chile, para essa mesma tarefa, basta só uma pessoa”, disse Appy. Resumindo: reforma tributária, já!

Para o setor turístico e, especialmente, para a hotelaria cearense, “este 2019 foi muito bom; o mês de novembro, por exemplo, foi o melhor novembro da história do nosso hotel”, revela, com entusiasmo, Dionísio Barsi, diretor financeiro do cinco estrelas Gran Marquise. Ele informou que todas as suas metas “foram superadas”

Esta coluna recebe, diariamente, informações sobre a burocracia do serviço público estadual e municipal, que cria dificuldades para a venda de facilidades. Quer experimentar? Tente abrir ou fechar uma empresa de qualquer porte. Descobrirá que o que parece muito fácil se torna o difícil, a não ser que se renda ao apelo tradicional

Egídio Serpa

Compartilhe

Deixe um comentário