Ouvir Rádio: Rádio Senado Fale Conosco

Premiê britânico diz que vai retribuir confiança de ex-eleitores do Partido Trabalhista

0
Vitória de Boris Johnson nas eleições britânicas deixa a saída da UE mais próxima

Vitória de Boris Johnson nas eleições britânicas deixa a saída da UE mais próxima

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, visitou ex-redutos de seus oponentes trabalhistas no norte da Inglaterra neste sábado (14) e prometeu retribuir a confiança deles por ajudar a garantir uma vitória esmagadora para seu Partido Conservador nas eleições nacionais do Reino Unido.

Johnson levou os conservadores na quinta-feira à sua maior vitória nas eleições desde o triunfo arrasador de Margaret Thatcher em 1987, vencendo o rival socialista do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, ao conquistar 365 cadeiras no Parlamento, com uma maioria geral de 80. Os trabalhistas levaram 203 cadeiras.

A eleição viu a ruína do “Muro Vermelho” do Partido Trabalhista de assentos anteriormente seguros em áreas da classe trabalhadora no norte e no centro da Inglaterra, onde a maioria das pessoas votou em um referendo de 2016 para deixar a União Europeia.

Johnson teve como slogan de campanha eleitoral o “Get Brexit done” (faça o Brexit).

“Eu sei que as pessoas podem estar rompendo o hábito de voto de gerações para votar em nós”, disse Johnson a apoiadores em Sedgefield, um local simbolicamente importante que já foi dominado pelo ex-primeiro-ministro Tony Blair, o líder de maior sucesso do Trabalhista.

“Quero que o povo do nordeste saiba que nós, do Partido Conservador, e eu, retribuiremos sua confiança.”

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson discursa em centro de contagem de votos em Uxbridge, na Inglaterra, na madrugada de sexta-feira(13) — Foto: Reuters/Toby MelvilleO primeiro-ministro britânico Boris Johnson discursa em centro de contagem de votos em Uxbridge, na Inglaterra, na madrugada de sexta-feira(13) — Foto: Reuters/Toby Melville

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson discursa em centro de contagem de votos em Uxbridge, na Inglaterra, na madrugada de sexta-feira(13) — Foto: Reuters/Toby Melville

G1

Compartilhe

Deixe um comentário