Ouvir Rádio: Rádio Senado | Rádio Câmara Fale Conosco

Quartos de Getúlio Vargas são abertos ao público pela primeira vez no Palácio Rio Negro, na Serra do RJ

0

A partir desta sexta-feira (12) os visitantes podem conferir os quartos do ex-presidente da República, Getúlio Vargas, no Palácio Rio Negro em Petrópolis, Região Serrana do Rio. No dormitório, estão relíquias como a cama, criados-mudos e um móvel utilizado como um lavatório. Já no quarto de vestir, é possível encontrar armários, espelhos e até os chapéus que foram usados pelo ex-presidente nas décadas de 1930 a 1950.

Chapéus de Getúlio Vargas estão à mostra no Palácio Rio Negro (Foto: Aline Rickly | G1) Chapéus de Getúlio Vargas estão à mostra no Palácio Rio Negro (Foto: Aline Rickly | G1)

Chapéus de Getúlio Vargas estão à mostra no Palácio Rio Negro (Foto: Aline Rickly | G1)

Segundo o administrador do Palácio Rio Negro, Daniel Martinez, os móveis, que são todos de madeira, estavam na reserva técnica do Museu da República, no Rio de Janeiro, e foram recuperados para a montagem dos quartos.

Um dos cômodos do Palácio Rio Negro que Getúlio utilizava para se vestir (Foto: Aline Rickly | G1) Um dos cômodos do Palácio Rio Negro que Getúlio utilizava para se vestir (Foto: Aline Rickly | G1)

Um dos cômodos do Palácio Rio Negro que Getúlio utilizava para se vestir (Foto: Aline Rickly | G1)

“O ex-presidente tinha uma relação muito forte com Petrópolis e, consequentemente, com o Palácio Rio Negro, que era onde ele ficava”, disse o administrador.

Getúlio gostava de caminhar pelas ruas do Centro de Petrópolis. Nesta foto ele conversa com um grupo de pessoas em 1951 (Foto: Reprodução | Exposição Palácio Rio Negro) Getúlio gostava de caminhar pelas ruas do Centro de Petrópolis. Nesta foto ele conversa com um grupo de pessoas em 1951 (Foto: Reprodução | Exposição Palácio Rio Negro)

Getúlio gostava de caminhar pelas ruas do Centro de Petrópolis. Nesta foto ele conversa com um grupo de pessoas em 1951 (Foto: Reprodução | Exposição Palácio Rio Negro)

Daniel conta que Getúlio gostava de ficar na cidade e quando chegava não queria mais ir embora.

“Estava sempre caminhando pelo Centro Histórico e aproveitava esse momento para ter contato com o público”, afirma o administrador do Palácio, acrescentando que Getúlio deixou sua marca no prédio.

“Ele mandou construir uma banheira grande no subsolo e dizia que era para um tratamento de recuperação de uma perna após ter sofrido um acidente”, revelou.

Getúlio foi presidente do país entre os anos de 1930 e 1945 e, posteriormente, entre 1951 e 1954.

Palácio Rio Negro é conhecido como a residência oficial de verão dos presidentes (Foto: Aline Rickly | G1) Palácio Rio Negro é conhecido como a residência oficial de verão dos presidentes (Foto: Aline Rickly | G1)

Palácio Rio Negro é conhecido como a residência oficial de verão dos presidentes (Foto: Aline Rickly | G1)

O Palácio Rio Negro é conhecido como a residência de verão dos presidentes. O último que se hospedou no local foi Luiz Inácio Lula da Silva, em 2008. Segundo Daniel, em 2015, o espaço recebeu 35 mil visitantes. No ano passado, ficou um período fechado por conta de uma obra na instalação elétrica.

Aberto ao público novamente, o espaço pode ser visitado de terça a domingo das 10h às 17h.

Compartilhe

Deixe um comentário