Ouvir Rádio: Rádio Senado Fale Conosco

Receitas de remédios e exames não são aceitos como documentos para comprovar comorbidade em vacinação contra Covid-19 de Fortaleza

0

A prefeitura da Capital disponibiliza um atestado padrão para comprovação, mas uma declaração de um médico também pode ser apresentada.

A terceira fase da vacinação contra Covid-19 em Fortaleza, abrangendo pessoas com comorbidades, começou nesta quarta-feira (5) e tem causado várias dúvidas entre as pessoas que se encaixam neste grupo sobre como comprovar que realmente possuem a condição de saúde desta etapa. Há a necessidade de comprovar que possui a comorbidade. Contudo, receitas de medicamentos e exames não são aceitos pelos aplicadores.

É o caso de Narcélio Cavalcante Silva, hipertenso, de 59 anos, que não conseguiu receber a primeira dose da vacina nesta quinta, mesmo com agendamento marcado para o centro de acolhimento do Cuca da Barra do Ceará, pois apresentou apenas as receitas de medicamentos que compra para regular a pressão arterial.

A sobrinha de Narcélio, Débora Damasceno, acompanhou o tio até o local de vacinação e presenciou a negativa ao tio. “A moça [aplicadora]pediu atestado médico, mesmo ele estando com as receitas médicas, antigas e atuais, mesmo assim ela exigiu atestado, mandando ele se dirigir a um posto de saúde”, revela Débora.

Ainda de acordo com Débora, a confirmação da vacinação de Narcélio, para 10h desta quinta, chegou por mensagem nesta quarta-feira (5), às 22h. Com isto, Narcélio não conseguiu a vacinação nesta segunda-feira, pois não teve tempo de ir a um posto de saúde, e agora vai aguardar uma nova data.

A Prefeitura de Fortaleza, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), explica que pessoas com comorbidades e deficiência permanente devem apresentar, de forma impressa, o atestado, relatório ou prescrição médica indicando o motivo para a aplicação da vacina, com validade de até um ano; e que o modelo de atestado médico como sugestão para comprovação de comorbidades está disponível no site municipal.

O modelo disponibilizado pela prefeitura, entretanto, é uma sugestão, podendo ser substituído por um comprovante de um médico, desde que ateste a condição de saúde da pessoa agendada para receber a vacina.

Além do atestado, durante a terceira fase, os agendados para receber a primeira dose do imunobiológico têm de apresentar, no ato da convocação, documentos comprobatórios, além de identificação original com foto, CPF e comprovante de endereço.

Novo lote de vacinas no Ceará

Ceará recebeu o 18° lote de vacinas — Foto: Foto:  Thiara Montefusco/Governo do Ceará

Ceará recebeu o 18° lote de vacinas — Foto: Foto: Thiara Montefusco/Governo do Ceará

O Ceará recebe, na tarde desta quinta-feira (6), um novo lote com 162.100 mil doses da vacina AstraZeneca. Há previsão para a chegada de 45.630 mil doses da Pfizer, ainda sem data confirmada. A informação foi divulgada nas redes sociais pelo governador Camilo Santana.

Camilo afirma que até o fim de semana há previsão do Estado receber mais vacinas CoronaVac, que serão utilizadas para as segundas doses que ainda não foram aplicadas. “Continuamos lutando por mais vacinas para todos os cearenses”, escreveu Camilo.

A última remessas que chegou ao aeroporto da Capital foi na última segunda-feira (3), com o primeiro lote de vacinas da Pfizer/BioNTech, contendo 17.555 mil doses, além de 255.750 mil doses do imunizante da Oxford/AstraZeneca.

Por conta da logística específica com baixas temperaturas, o imunizante da Pfizer está sendo aplicado somente em Fortaleza, seguindo a recomendação do Ministério da Saúde (MS). A vacina é utilizada em pessoas do grupo da 3ª fase da Campanha Nacional de Vacinação contra a Covid-19, que começara a ser vacinadas nesta quarta-feira (5).

3ª fase de vacinação

Depois de quatro meses do início da campanha de vacinação, o Ceará avança para a aplicação das doses em pessoas que fazem parte da fase três do grupo prioritário. Nesta quarta-feira começaram a ser vacinados pessoas com comorbidades e deficiência permanente grave. Grávidas e puérperas também vão ser contempladas com a vacinação nesta etapa.

Em vídeo divulgado na semana passada, Magda reforçou que é importante que as pessoas estejam cadastradas na plataforma Saúde Digital, informando em qual categoria de comorbidade se encaixa.

Grupo da terceira fase da vacinação começa a receber a vacina nesta quarta-feira. Fila registrada dentro do Centro de Eventos do Ceará.  — Foto: Fabiane de Paula/Sistema Verdes Mares

Grupo da terceira fase da vacinação começa a receber a vacina nesta quarta-feira. Fila registrada dentro do Centro de Eventos do Ceará. — Foto: Fabiane de Paula/Sistema Verdes Mares

Confira a organização da vacinação

Primeira convocação:

  • Gestantes e puérperas com comorbidades que possuem entre 18 e 59 anos;
  • Pessoas com síndrome de down que possuem entre 18 e 59 anos;
  • Pessoas com doença renal crônica em terapia de substituição renal (diálise) que possuem entre 18 e 59 anos;
  • Pessoas entre 55 e 59 anos com comorbidades, seguindo a sequência definida na comissão; Intergestores Bipartite N°40 (CIB/CE): Cardiopatia; Diabetes; Obesidade IMC>40; Doença Neurológica; Pneumopatias; Doença Renal Crônica; Imunodeficiência e outras;
  • Pessoas entre 55 a 59 anos com Deficiência Permanente cadastradas no Programa de Benefício de Prestação Continuada (BPC).

Segunda convocação:

  • Gestantes e puérperas, independente de comorbidades, acima de 18 anos
  • Pessoas entre 18 e 54 anos com comorbidades e deficiência permanente.

Também foi definida uma ordem de prioridade entre as pessoas com comorbidades. De acordo com a Sesa, a organização é:

  1. Cardiopatia
  2. Diabetes
  3. Obesidade IMC > 40
  4. Doença Neurológica
  5. Pneumopatia
  6. Doença Renal Crônica
  7. Imunodeficiência

G1 CE

Compartilhe

Deixe um comentário