Ouvir Rádio: Rádio Senado | Rádio Câmara Fale Conosco

Republicanos confirma ex-ministra Damares na disputa ao Senado

0

Candidatura foi oficializada nesta sexta-feira (5) durante convenção partidária; Manoel Arruda, do União Brasil, será o suplente

A ex-ministra Damares Alves na convenção do Republicanos que confirmou seu nome para concorrer ao Senado

A ex-ministra Damares Alves na convenção do Republicanos que confirmou seu nome para concorrer ao Senado

JÉSSICA MOURA/R7

A ex-ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos Damares Alves será candidata a senadora nas eleições de outubro. A definição foi anunciada pelo Republicanos durante a convenção partidária, nesta sexta-feira (5), último dia do prazo para as convenções.  O presidente regional do União Brasil, Manoel Arruda, será o suplente de Damares.

“Procuramos com um quadro desse, de excelência, ocupar um cargo do tamanho que a ministra merece”, disse o presidente regional da legenda, Wanderley Tavares. Ele anunciou ainda que a sigla vai apoiar a candidatura de Ibaneis Rocha (MDB) à reeleição, diante da indefinição do senador Reguffe quanto à própria candidatura. “Tomamos a decisão que tínhamos que tomar.” 

VEJA TAMBÉM

Na quarta-feira (3), a ex-ministra reuniu aliados para discutir o lançamento de candidatura avulsa, com o intuito de reforçar o apoio à campanha política. Uma das possibilidades discutidas era que Damares se lançasse à Câmara dos Deputados. Contudo, o anúncio oficial, previsto para aquela data, acabou adiado.

Em meados de julho, Damares chegou a ser anunciada candidata ao Senado na chapa de Ibaneis Rocha, que tenta a reeleição. Na época, houve rusgas na relação dele com o ex-governador José Roberto Arruda e a mulher dele, a deputada federal Flávia Arruda. Isso porque o ex-governador pretendia concorrer ao Buriti, quando uma decisão liminar do Superior Tribunal de Justiça (STJ) o tornou elegível.

Contudo, o presidente Jair Bolsonaro interveio no impasse e fechou acordo para que Arruda fosse candidato a deputado federal e abriu espaço para que Flávia fosse o nome ao Senado na chapa de Ibaneis. Com a derrubada da decisão provisória do STJ, agora, Arruda está novamente inelegível.

Com o arranjo, a candidatura de Damares perdeu espaço e, desde então, o destino eleitoral da ex-ministra estava incerto. Neste ano, os eleitores vão escolher apenas um novo nome ao Senado. Com isso, Damares e Flávia devem se enfrentar diretamente nas urnas.

Convenção partidária

“Vou enfrentar a Flávia com muito respeito. Precisamos reconhecer o potencial de voto que Flávia Arruda tem. Mas eu entendo que a população do DF precisa ter uma outra proposta, uma outra opção. Eu sou a outra opção. Eu quero apresentar a minha proposta. Vamos conduzir essa campanha com muito respeito. E vai ser com muito respeito que vamos trabalhar essa disputa. E vai ganhar quem tiver mais voto. E digo pra vocês: quem vai ganhar sou eu”, afirmou.

Durante a convenção, o Republicanos oficializou os nomes que compõem a chapa do partido: serão 27 candidatos à Câmara Legislativa e 9 à Câmara dos Deputados.

Apoio presidencial

O presidente da República, Jair Bolsonaro, e a primeira dama, Michelle Bolsonaro, apoiaram a candidatura avulsa da ex-ministra. Wanderley já havia conversado com o presidente da República sobre a candidatura de Damares em reuniões. O presidente local do Republicanos disse que o apoio do presidente foi um gesto nobre.

“O Republicanos e o União Brasil se uniram nesse projeto grandioso para Brasília, com um nome para o Senado de uma mulher honrada, competente, forte e com a experiência de ministra de estado e de assessora jurídica e parlamentar com 24 anos de atuação no Congresso Nacional”, afirmou Wanderley.

R7

Compartilhe

Deixe um comentário