Ouvir Rádio: Rádio Senado | Rádio Câmara Fale Conosco

Restaurante frequentado por Luiz Gonzaga, no Crato, fecha após 62 anos de funcionamento, devido à pandemia

0

O Restaurante Guanaraba, localizado no centro do Crato, há cerca de 500 km de Fortaleza, foi frequentado por figuras conhecidas no cenário musical, como os cantores Altemar Dutra, Luiz Gonzaga e Gonzaguinha. Após 62 anos de atendimento 24 horas, os donos precisaram fechar o estabelecimento – que nunca teve portas – em decorrência da pandemia do novo coronavírus. Para eles, o fechamento dessa história de mais de seis décadas é marcado por tristeza e saudade.

“A despedida não é fácil, dizer adeus para algo que faz parte de nossa história também não, mas a sensação de dever cumprido e de muita gratidão permanece viva no coração de cada um de nós que fazemos o Restaurante Guanabara”, declara em nota a administração aos clientes e amigos.

A decisão foi tomada em conjunto pelos familiares do fundador do restaurante, o “Seu Neném”, como era conhecido Francisco Alves Feitosa, hoje com 89 anos e diagnosticado com Alzheimer. Após cinco meses fechados em decorrência da suspensão das atividades econômicas, não estava mais sendo possível manter o local nem o pagamento dos funcionários, conforme explica a neta, Renata Maia Feitosa Cardoso, 37.

“Se não tivesse tido essa pandemia, ainda estaríamos funcionando. Nós fomos obrigados a fechar, não teve como sustentar essa situação”, acrescenta.

A decisão “difícil e dolorosa” foi comunicada inicialmente aos funcionários, muitos deles, que trabalhavam há mais de 30 anos do local.

Dificuldades

A percepção de que não teriam como continuar mantendo o restaurante surgiu na metade de agosto. Antes disso, haviam tentado encontrar alternativas para seguir com o funcionamento, como a adoção de serviços delivery. Porém, mesmo com demandas e com o esforço em fazer dar certo, o retorno não compensou.

“Nos sentimos impotentes”, declara. O dinheiro arrecadado com o serviço não cobria nem um terço do necessário para bancar o local e custear os funcionários. “Às vezes a gente calava ao invés de expor o assunto, como se a esperança estivesse falando mais alto”, afirma.

Se o avô estivesse lúcido e com condições financeiras, Renata afirma que ele não deixaria aquela história acabar. Para além de um mero local de trabalho, o restaurante era uma paixão que movia não apenas o Seu Neném, como muitos familiares e conhecidos. “Se eu tivesse o dinheiro para permanecer aberto, eu também nunca deixaria isso se acabar”, pontua.

História

Ao longo dos anos, o Restaurante buscou garantir um atendimento acolhedor e de qualidade a todos os seus clientes, construindo um ambiente de histórias e afetos. Renata cresceu vendo a família se dedicar ao local e, aos 30 anos, iniciou sua contribuição oficial para o bom funcionamento do restaurante.

“Tenho uma filha de 23 que cresceu lá dentro. Eu deixava minha filha no restaurante para continuar meus estudos”, compartilha, apontando que a história do local se entrelaça com a linha do tempo de suas próprias vidas.

A esposa de Seu Neném, Maria Alvanita Maia Feitosa, de 90 anos, trabalhou boa parte da vida no local, lembrando das histórias que o marido não é mais capaz de guardar. Conforme a neta, ele sempre esteve nos bastidores, ajudando a erguer o local mesmo nos momentos de maior dificuldade.

“Às vezes eu até desconheço alguma (história) e sou surpreendida com a vida de vovô, com sua honestidade e caráter”, declara, desejando que apesar da decisão de fechar, as histórias sigam vivas no coração de amigos e clientes.

Casos

Ceará contabiliza 227.374 casos confirmados e 8.686 mortes pela Covid-19, de acordo com dados da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), atualizada às 9h20 desde domingo (13). Já são 202.018 pessoas recuperadas da doença.

A plataforma indica que há ainda 87.809 casos suspeitos e 603 mortes em investigação. Ao todo, já foram notificados 693.542 casos. O Estado já aplicou 688.316 testes para detectar o novo coronavírus.

Fortaleza concentra 47.861 casos confirmados, 3.820 óbitos pela doença e tem uma incidência de 1.793 . A partir desta semana, feiras, parques de diversão em espaços abertos são autorizados a voltar com 30% na capital. O funcionamento de academias pode ser a 50% da capacidade e os horários do shopping foi ampliado.

Em seguida no número de casos está Juazeiro de Norte, com 14.760 casos, 270 mortes e 5.382,8 de incidência. Em Sobral, na Região Norte, já foram registrados 11.494 casos e 305 pessoas não resistiram à enfermidade. A incidência na cidade está em 5.501,2.

Veja outras informações da plataforma:

  • A taxa de ocupação das UTIs cearenses é de 62,53%;
  • A taxa de ocupação das enfermarias cearenses é de 28,17%;
  • A letalidade da doença no Estado é de 3,8%
  • Não ocorreram mortes pela doença nas últimas 24 horas

Os números apresentados pela Secretaria da Saúde são atualizados permanentemente e fazem referência à disponibilidade dos resultados dos testes para detectar a presença dos vírus, ou seja, não necessariamente correspondem à data da morte ou do início da apresentação dos sintomas pelo paciente.

Todas as regiões do Ceará entram na fase 4 de retomada econômica

Todas as regiões do Ceará entram na fase 4 de retomada econômica

4ª fase do plano de retomada

Todas as regiões do Ceará vão estar na 4ª e última fase do plano de retomada da economia a partir da próxima segunda-feira (14). Isso porque a macrorregião do Cariri, única que estava na fase 3, avança para a última etapa com o novo decreto. As informações foram divulgadas pelo governador Camilo Santana, na tarde desta sexta-feira (11).

Na quarta fase de reabertura econômica, a maior parte das atividades são permitidas, mas com restrição de horários e com medidas de segurança sanitária, como uso de máscara e disponibilidade de álcool em gel. Aulas presenciais seguem suspensas para o Ensino Médio e Ensino Fundamental. Eventos com no máximo 100 pessoas serão permitidos a partir de 14 de setembro.

Coronavírus: infográfico mostra principais sintomas da doença — Foto: Foto: Infografia/G1

Coronavírus: infográfico mostra principais sintomas da doença — Foto: Foto: Infografia/G1/CE

Compartilhe

Deixe um comentário