Série ‘Depressão: precisamos falar sobre isso’ mostra as causas da doença que atinge 11 milhões de brasileiros

0

Bem Estar - Edição de Segunda-feira, 19/11/2018

Bem Estar – Edição de Segunda-feira, 19/11/2018

Nesta segunda-feira (19), o Bem Estar estreou uma série de reportagens sobre a depressão, doença que afeta 11 milhões de brasileiros e mais de 300 milhões de pessoas em todo o mundo. Especialistas explicam os motivos do aumento de casos da doença e mostra as novidades nos tratamentos, algumas delas desenvolvidas por pesquisadores brasileiros. Para falar sobre o assunto, o programa recebeu o psiquiatra Táki Cordás e a psicóloga Karina Fukumitsu.

A depressão não precisa ser desencadeada por um único evento, nem algo traumático, mas um acúmulo de coisas, e atinge pessoas de diversas idades, de crianças a idosos. Existem vários fatores que contribuem e aumentam o risco de depressão, como genética, eventos vitais (são eventos negativos que acontecem ao longo da vida, doenças crônicas), falta de resiliência. Muitas vezes, não há nenhum acontecimento ruim, mas só o fator genético pode ser capaz de desencadear a depressão.

Série ‘Depressão: precisamos falar sobre isso’ mostra causas da doença

Série ‘Depressão: precisamos falar sobre isso’ mostra causas da doença

DEPRESSÃO NÃO É FRESCURA
É importante saber que a pessoa que está próxima de alguém com depressão não pode acelerar o processo de melhora dela, mas pode piorar com atitudes e palavras e frases mal colocadas, como por exemplo, reaja; faça um esforço, só depende de você; vai fazer ginástica que passa.

Em vez de julgar a pessoas, acolha respeitando a situação. Tentando se aproximar, mas isso não significa ser invasivo. Às vezes a pessoa deprimida não dá brecha, então aproxime-se de outras formas. O deprimido sente-se desamparado e não existe uma única forma de se aproximar dele.

Veja o que é mais importante para aquela pessoa. Em alguns casos, pode se ajudar com atividades diárias, como lavar uma louça. Gestos desse tipo fazem com que ela perceba que não está sozinha naquela situação e ela sente-se acolhida. A depressão pode ter sintomas opostos: tanto apatia quanto agressividade.

Abaixo estão alguns sintomas da depressão:
– Perda de prazer;
– Irritabilidade;
– Distúrbio do sono;
– Cansaço;
– Falta de vontade de fazer coisas / esforço extra para fazer as coisas;
– Choro fácil ou apatia;
-Queixa de falta de memória e de concentração

Qual a hora de usar remédio pra depressão?

Qual a hora de usar remédio pra depressão?

REMÉDIOS PARA DEPRESSÃO VICIAM?
Há um preconceito muito grande com os antidepressivos e um medo deles causarem dependência. Segundo especialistas, os antidepressivos não deixam ninguém além da sua normalidade, ou seja, eles ajudam a pessoa a voltar ao estado normal. Não são estimulantes e não viciam. Toda medicação tem efeitos colaterais e, como qualquer tratamento médico, é avaliada a relação custo benefício.

A terapia é muito importante, mas depende da fase e do tipo de depressão. Segundos os médicos, durante a depressão moderada a grave, a terapia deve funcionar mais como um suporte. Quando existe um preconceito com a depressão, a pessoa tende a acreditar que ela não está doente, mas está sem força de vontade, o que coloca um peso ainda maior e ela sente-se culpada. A pessoa com depressão precisa aprender a ver o problema dela como um adoecimento, explica a psicóloga Karina Fukumitsu.

DORES NO CORPO
Muitas pessoas que têm depressão sofrem com dor no corpo todo, mas por que isso acontece? Saiba também quais os alimentos que ajudam a combater os sintomas.

Pessoas com depressão sofrem com dores no corpo

Pessoas com depressão sofrem com dores no corpo

G1

Compartilhe

Deixe um comentário