Ouvir Rádio: Rádio Senado Fale Conosco

Um novo Brasil será apresentado a investidores no Fórum de Investimento Brasil 2019

0
Juros mais baixos, novas concessões e geração de empregos com carteira assinada são resultados que devem ser apresentados a investidores

No Fórum de Investimento Brasil (BIF2019), em São Paulo (SP), o presidente Jair Bolsonaro e ministros vão apresentar aos investidores estrangeiros um novo Brasil com retomada do crescimento, melhora do índice de confiança para investimentos, avanços no setor do agronegócio e redução da criminalidade.

Organizado pelo governo brasileiro em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) esse é o maior evento voltado à atração de investimentos na América Latina. Confira alguns dados que mostram uma retomada do crescimento no país:

Economia

A queda da taxa de juros, a redução do risco-país e o bom resultado de arrecadação são alguns dos sinais da retomada do crescimento econômico do Brasil.

O Banco Central revisou a estimativa de crescimento da economia brasileira em 2019, de 0,8 para 0,9%. O aumento se deve ao Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre deste ano, que, de acordo com o IBGE, cresceu 0,4% em relação ao primeiro trimestre.

Em setembro, o Comitê de Política Monetária do Banco Central reduziu em 0,5 ponto percentual a taxa básica de juros, que serve como referência para os financiamentos que são praticados no mercado. Assim, a Selic caiu de 6% para 5,5% ao ano. Foi a segunda redução seguida feita pelo Copom em 2019.

O risco-país caiu para o menor nível desde 2013. Esse é um indicador utilizado para orientar os investidores estrangeiros a respeito da situação financeira de um mercado emergente.

Emprego

Os dados mais recentes do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) mostraram que pelo quinto mês consecutivo o Brasil teve um saldo positivo na geração de emprego formal com 121.387 postos de trabalho criados no mês de agosto. Este foi o melhor resultado para o mês desde 2013, quando o saldo foi 127 mil vagas. No acumulado de 2019 foram criados 593.467 novos empregos.

Segurança

Dados do Ministério da Justiça mostram que índices de criminalidade estão em queda no país. O Brasil registrou queda de 21,3% no número de homicídios nos cinco primeiros meses do ano em comparação com o mesmo período do ano passado.

Houve redução ainda de 23,7% nos latrocínios (roubo seguido de morte), de 11,9% nos estupros, 8,2% nas tentativas de homicídio e 2,2% nos crimes de lesão corporal seguida de morte. A redução também foi expressiva nos crimes de roubo à instituição financeira, menos 38,4% relação aos cinco primeiros meses de 2018

Turismo

Os turistas nacionais e internacionais buscaram mais os destinos brasileiros durante o primeiro semestre deste ano. Entre janeiro e junho, a procura pelo Brasil cresceu 30% em relação aos seis primeiros meses de 2018.

A dispensa de visto de entrada no Brasil para norte-americanos, canadenses, australianos e japoneses, determinada pelo governo brasileiro, entrou em vigor no último mês de junho e foi um incentivo a mais para a entrada dos estrangeiros no Brasil para fazer turismo. Em junho houve acréscimo de 53% no número de turista americanos comparado a junho do ano passado.

Agricultura

Em 2018, a produção brasileira agropecuária alcançou US$ 147,4 bilhões. A previsão é que cresça ainda mais nos próximos anos, contribuindo para que o Brasil ultrapasse os 7% da atual participação no comércio mundial.

Estudo realizado este ano pelo Ministério da Agricultura e pela Embrapa estima que nos próximos 10 anos a produção de grãos crescerá 27%, de carne bovina 19% e frango 28%.

Em missões ao exterior, o Ministério da Agricultura tem aberto mercados aos produtos brasileiros. No último mês, por exemplo, países do Oriente Médio como Egito, Arábia Saudita e Kuwait anunciaram importações de produtos lácteos, frutas, mel e castanhas do Brasil.

Infraestrutura

Entre os projetos ferroviários, os destaques são: a Ferrogrão e a Ferrovia de Integração Oeste-Leste. A Ferrogrão será o novo corredor ferroviário de exportação. Com 933 km de extensão e investimento previsto de US$ 3,1 bilhões, o projeto está atualmente em fase de consulta pública e deve ir a leilão no ano que vem. A outra, liga a fronteira agrícola do oeste aos portos brasileiros, tem 537 km de extensão, e será fundamental para escoar minério de ferro e grãos. Com investimento previsto de US$ 805 milhões para conclusão das obras do primeiro trecho, o projeto também está em fase de consulta pública. Futuramente, esta ferrovia se conectará à Ferrovia Norte-Sul.

Compartilhe

Deixe um comentário