Ouvir Rádio: Rádio Senado / Universitária FM 107.9 Fale Conosco

Uma vila perdida na mata: Paranapiacaba

0

Patrimônio ameaçado

Uma vila ferroviária preservada no meio da mata atlântica da Serra do Mar,paranapiacaba2 em São Paulo, junta esses dois atrativos: ecologia e história. É mais uma cidadezinha que conheci durante uma reportagem para o Fantástico. O tema era o nosso patrimônio histórico, que está se perdendo por falta de investimento em restauração, preservação e proteção. Fomos visitar a charmosa vila de Paranapiacaba, fundada pelos ingleses em 1867. Queríamos ver de perto as obras do PAC Cidades Históricas, programa do governo federal. Chegamos, eu, o cinegrafista Wellington Almeida e o produtor Diego Zanchetta, por uma estrada de terra cercada pela vegetação, a uma cidadezinha perdida em meio ao nevoeiro. A umidade que baixava sobre as casas impossibilitava a captação de imagens. Tivemos que esperar que o sol do dia seguinte dissipasse a névoa para podermos gravar.

Tranquilidade

O mais interessante é que os poucos moradores se recolhem muito cedo. Depois das 17h já não se vê quase ninguém na rua. Nem tem comércio aberto para um lanche ou jantar. Mas isso tudo muda no fim de semana, quando o local recebe dezenas de visitantes em busca de paisagens pitorescas e caminhadas pelas trilhas e cachoeiras. Muitos vêm de trem, numa paranapiacaba3viagem que parte da estação da Luz, no centro de São Paulo, aos domingos, e corta a região do ABC e a serra. E então a vila se transforma. As casas ganham vida e viram pousadas, restaurantes e cafés com bolos caseiros e geleias. Uma das mais típicas é a de cambuci, uma frutinha da região, bem azedinha, que além de geleia é usada em musse ou sorvete.

Agora a passeio

Depois da reportagem concluída, resolvi voltar a Paranapiacaba para passear com meu marido. A parte alta da cidade, onde fica a igrejinha, demanda um pequeno esforço para subir a ladeira um tanto íngreme.paranapiacaba1

A linha férrea encanta os visitantes, muitos saudosos do tempo em que o Brasil se movia sobre trilhos. Uma das fotos preferidas é na sucata enferrujada de uma locomotiva, deixada em um pátio que hoje está coberto pelo mato.

paranapiacaba4O passeio, além de romântico, é educativo. Existe um museu ferroviário e uma casa que pertenceu ao engenheiro chefe da vila, hoje um museu também. As trilhas ecológicas são de dificuldade variável. Feitas junto com guias treinados, podem incluir até banho de cachoeira, dependendo do percurso.
Mas o mais encantador de Paranapiacaba são mesmo as casinhas, feitas em pinho de riga, madeira nobre extinta, trazida da Europa. Há uma aberta para visitação, onde podemos ver a simplicidade e praticidade da construção. Até o fogãozinho de lenha está lá.

Na hora do almoço, matei a saudade do musse de cambuci. Também comprei vários potinhos de geleia pra levar pra casa. Fomos embora com um gostinho de passado, de um tempo de marias-fumaças e fogões com lenha crepitante, que infelizmente não volta mais…

 

por Carla Vilhena
Compartilhe

Deixe um comentário