Ouvir Rádio: Rádio Senado Fale Conosco

Usina de hidrogênio no Pecém: australiana quer iniciar operação em quatro anos

0

“A nossa unidade no Brasil será, de longe, a maior usina de hidrogênio do mundo. Já contratamos 3,4 gigawatts (GW) de energias renováveis, mas temos o potencial de contratar e construir mais 100 GW no futuro”, disse Wesley Cooke, fundador e CEO da Enegix, durante apresentação do projeto à imprensa, na manhã desta quinta-feira (4)

Equipe Focus
focus@focus.jor.br

A planta de produção de hidrogênio verde “Base One”, prevista para ser construída no Complexo Industrial do Pecém pela australiana Enegix Energy, deverá ficar pronta nos próximos quatro anos, e terá o potencial de ser a maior produtora de hidrogênio do mundo, chegando a uma produção anual de 600 milhões de kg de “hidrogênio verde” (produzido por meio de energias renováveis).

O investimento total é estimado em US$ 5,4 bilhões. Atualmente, a Enegix está buscando parcerias com investidores e está realizando uma rodada de capital aberto.

“A nossa unidade no Brasil será, de longe, a maior usina de hidrogênio do mundo. Já contratamos 3,4 gigawatts (GW) de energias renováveis, mas temos o potencial de contratar e construir mais 100 GW no futuro”, disse Wesley Cooke, fundador e CEO da Enegix, durante apresentação do projeto à imprensa, na manhã desta quinta-feira (4).

A meta é ambiciosa. Para se ter uma ideia, hoje, todas as usinas eólicas do Brasil, somadas, têm 17,2 GW de potência instalada, sendo 2,6 GW no Ceará. Já as usinas de energia solar de todo o Brasil somam, hoje, 3,2 GW de potência instalada, sendo 0,2 GW no Ceará.

Sobre a escolha do Ceará, Cooke destacou os altos níveis de eficiência para produção de energia eólica e solar e a posição geográfica do Estado, que facilitará o acesso aos principais mercados globais. “No Ceará temos os melhores ventos do mundo, os alísios, e temos um grande potencial de exportação para a Europa, Estados Unidos, África e estamos próximos do Canal do Panamá”, disse o CEO.

Inicialmente, a usina será abastecida por energia gerada por fontes solar e eólica em terra (offshore) e, futuramente, será abastecida também por geradores eólicos instalados no mar (offshore). “Nossa parceria com o Governo do Estado do Ceará é um marco importante para a empresa. O Base One transformará o Ceará em um importante exportador de hidrogênio”, disse Cooke.

Memorando
No dia 19 de fevereiro, a companhia australiana assinou um memorando de entendimento com o Governo do Ceará pelo qual ficou reservada uma área de 500 hectares no Complexo do Pecém para o empreendimento. A Enegix também assinou um memorando com uma empresa internacional de engenharia e consultoria técnica para realizar um estudo de viabilidade e, em breve, deverá iniciar o processo de obtenção de licenças ambientais e sociais.

Compartilhe

Deixe um comentário