Ouvir Rádio: Rádio Senado | Rádio Câmara Fale Conosco

Vice-prefeito de Camocim é preso suspeito de participação em fraude de R$ 20 milhões do INSS

0

Vice-prefeito da cidade cearense, Ismael Jorge Gomes Pinheiro, de 69 anos, é também médico perito do INSS.

O médico e vice-prefeito de Camocim, Ismael Jorge Gomes Pinheiro, é um dos presos na operação da Polícia Federal contra suspeitos de participação em um esquema de fraude nos benefícios de auxílio-doença do INSS. Ele e mais duas pessoas foram detidos na Operação Raque, realizada na sexta-feira (23) em Parnaíba, no litoral do Piauí.

Conforme a Polícia Federal, o grupo gerou um prejuízo de R$ 20 milhões. O g1 tenta contato com o vice-prefeito desde a manhã deste sábado (24). A Prefeitura de Camocim informou que iria se posicionar por meio de nota, mas não se manifestou desde a última atualização desta reportagem.

Os policiais fizeram buscas em cinco endereços ligados aos investigados, nos estados do Piauí e Ceará. Durante as buscas foram encontradas uma pistola e um rifle, além de R$ 65 mil em espécie e dois carros.

Ainda segundo a Polícia Federal, os criminosos criaram 386 benefícios de incapacidade temporária fraudulentos. Eles usavam doenças de coluna como motivo para os benefícios.

Durante operação, Polícia Federal apreendeu armas e dinheiro na residência de pessoas ligadas a esquema crimonoso que frauda benefícios do INSS — Foto: Polícia Federal/Divulgação

Durante operação, Polícia Federal apreendeu armas e dinheiro na residência de pessoas ligadas a esquema crimonoso que frauda benefícios do INSS — Foto: Polícia Federal/Divulgação

A Justiça determinou a suspensão 56 benefícios que não chegaram a ser efetivados, e que poderiam causar mais R$ 800 mil de prejuízo.

Os três suspeitos presos podem responder pelos crimes de associação criminosa, inserção de dados falsos, falsidade ideológica e estelionato.

Os três tiveram contas bancárias bloqueadas. Dois deles, incluindo o médico perito, são servidores do INSS e foram afastados de suas funções por determinação judicial.

G1 CE

Compartilhe

Deixe um comentário