Com aumento da procura, postos de Fortaleza ficam sem vacina contra febre amarela

0

Doses da vacina contra febre amarela não estão sendo suficientes para atender a população nos postos de saúde de Fortaleza. Com o surto da doença em diversos estados do país, houve aumento da procura na capital cearense. Apesar de os postos serem abastecidos mensalmente, em algumas unidades as doses estão acabando antes do fim do dia, e há filas extensas.

Em Fortaleza, a vacina contra a febre amarela é aplicada em cinco postos:

  • Roberto Bruno, no Bairro de Fátima
  • Carlos Ribeiro, na Jacarecanga
  • Paulo Marcelo, no Centro
  • Messejana, no bairro de mesmo nome
  • Centro de Saúde, no Meireles

Um dos motivos para a falta das doses, segundo a Secretaria da Saúde, é que os turistas estão aproveitando para tomar a vacina em Fortaleza, antes de voltar para o estado de origem.

A secretaria informa que, até dezembro, o Ministério da Saúde enviava 2.500 doses ao estado, o suficiente para o período de um mês. Neste mês de janeiro, foram pedidas 5.500 doses, das quais 3.500 já foram aplicadas.

Para conseguir a dose da vacina, é preciso apresentar comprovante de viagem com destino aos estados endêmicos. Apenas Ceará, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Paraíba estão fora da lista de vacinação.

Crianças menores de seis meses, grávidas, pessoas com mais de 60 anos e alérgicos ao ovo não devem receber a medicação. A vacina também é contraindicada para pessoas com sistema imunológico debilitado por conta de alguma doença.

Sintomas

Turistas que visitam Fortaleza procuram vacina contra febre amarela na capital cearense antes de retornarem ao estado de origem, diz Secretaria da Saúde (Foto: TV Verdes Mares/Reprodução) Turistas que visitam Fortaleza procuram vacina contra febre amarela na capital cearense antes de retornarem ao estado de origem, diz Secretaria da Saúde (Foto: TV Verdes Mares/Reprodução)

Turistas que visitam Fortaleza procuram vacina contra febre amarela na capital cearense antes de retornarem ao estado de origem, diz Secretaria da Saúde (Foto: TV Verdes Mares/Reprodução)

A doença se torna aparente de três a seis dias após a infecção, de acordo com o Ministério da Saúde. Os sintomas iniciais são febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza. A maior parte das pessoas apresenta uma melhora após tais sintomas.

Cerca de 20% a 40% das pessoas que desenvolvem a versão mais grave da doença (15% do total de infectados) podem morrer.

G1

Compartilhe

Deixe um comentário