Senadores do PMDB, Requião e Jucá batem boca nas redes sociais

0

Jornal do Brasil

Em lados opostos dentro do PMDB, os senadores Roberto Requião (PR) e Romero Jucá (RR) trocaram acusações neste fim de semana, diante das especulações de que Jucá, que é líder do governo no Senado e presidente do partido, estaria tramando a expulsão de Requião, que faz oposição pública ao governo e a Michel Temer.

Requião gravou um vídeo afirmando que Jucá estaria buscando um laranja para assinar uma ação no PMDB para promover sua expulsão e emendou: “Romero Jucá, se eu solto meus cachorros atrás de você, vai ser bem mais sério que uma busca da Polícia Federal ou da Lava Jato”, disse o parlamentar, fazendo referência a denúncias da Lava Jato contra Jucá.

O líder do governo gravou, então, uma resposta, garantindo que não deve nada à Polícia Federal nem à operação que apura crimes de corrupção, organização criminosa e lavagem de dinheiro na relação entre a Petrobras, empresários de empreiteiras e políticos. “Pelo visto o senador Requião deve estar andando com muitos vira-latas e deve ser igual a eles. Não tenho medo de cara feia, nem de bravata (…) O senhor disse que pode soltar seus cachorros em cima de mim, solte, não tenho medo. Não devo nada nem a Policia Federal, nem a Lava Jato”.Em crítica aos líderes do partido, Requião arrematou: “Não roubar, não deixar roubar, denunciar e punir quem rouba. É isso Romero Jucá, é isso a nossa posição. Por isso cogitam a minha expulsão? Vão manter só o pessoal com a tornozeleira no pé?”, declarou.

Jucá afirmou, então, que, como presidente do PMDB, levará “essa história e a situação do Paraná para a reunião da executiva (do partido) e acrescentou que as colocações do senador Requião “são lamentáveis e atrasadas, visando uma política antiga, bolivariana e petista”.

O líder do governo gravou, então, uma resposta, garantindo que não deve nada à Polícia Federal nem à operação que apura crimes de corrupção, organização criminosa e lavagem de dinheiro na relação entre a Petrobras, empresários de empreiteiras e políticos. “Pelo visto o senador Requião deve estar andando com muitos vira-latas e deve ser igual a eles. Não tenho medo de cara feia, nem de bravata (…) O senhor disse que pode soltar seus cachorros em cima de mim, solte, não tenho medo. Não devo nada nem a Policia Federal, nem a Lava Jato”.

Em crítica aos líderes do partido, Requião arrematou: “Não roubar, não deixar roubar, denunciar e punir quem rouba. É isso Romero Jucá, é isso a nossa posição. Por isso cogitam a minha expulsão? Vão manter só o pessoal com a tornozeleira no pé?”, declarou.

Jucá afirmou, então, que, como presidente do PMDB, levará “essa história e a situação do Paraná para a reunião da executiva (do partido) e acrescentou que as colocações do senador Requião “são lamentáveis e atrasadas, visando uma política antiga, bolivariana e petista”.

Compartilhe

Deixe um comentário